Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

A segunda maior cervejaria da Espanha escolhe o interior de São Paulo para construir uma fábrica de R$ 2 bilhões.

Até o final do que vem, mais uma gigante global do setor de cerveja terá produção no Brasil. A poucos metros da fábrica da holandesa Heineken, em Araraquara (SP), a cervejaria espanhola Hijos de Rivera, dona da marca Estrella Galicia, vai começa a produzir e engarrafar suas bebidas. Os investimentos, segundo o CEO Global da Estrella Galicia, Ignacio Rivera, devem superar R$ 2 bilhões. Em operação, a primeira unidade do grupo fora da Espanha vai gerar 400 empregos diretos. “Estou muito feliz por darmos esse passo tão importante para nossa empresa”, disse o CEO. “É sem dúvida um sonho que vai se tornar realidade em 2023.”

Fábrica da empresa no Brasil será a primeira fora da Espanha.

A decisão põe fim a uma disputa entre São Paulo e Minas Gerais. A unidade seria construída em Poços de Caldas, mas acabou indo para o interior paulista após negociação com o governador João Doria e com o presidente da Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade (InvestSP), Gustavo Junqueira. O governo estadual não forneceu incentivos fiscais específicos para a fábrica da cervejeira espanhola. A Prefeitura de Araraquara ofereceu isenção de taxas e tributos, principalmente os vinculados à construção da planta. Pesou a favor de São Paulo, segundo a empresa, fatores logísticos e qualidade da matéria-prima.

“A demanda do mercado tem dado sinais bons de força”, disse Fabio Rodrigues, presidente da empresa na América Latina. “Encontramos na cidade uma quantidade e qualidade de água que vai nos permitir fazer uma cerveja de altíssima qualidade”, afirmou.

A ideia do grupo Hijos de Rivera é que a nova unidade seja um modelo de fábrica sustentável na esfera ambiental e com a adoção de boas práticas desde a matéria-prima até a experiência de consumo dos clientes. A unidade brasileira terá as mesmas tecnologias que fizeram a marca atingir, no começo do ano, a meta de emissão zero de carbono em suas principais instalações. Isso foi possível com a adoção de uma matriz energética mais limpa, com geração de biogás, utilização de energias renováveis, centrais fotovoltaicas e veículos híbridos.

 

Fonte: ISTO É Dinheiro – 03/12/2021

guia fornecedores