Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

Com a pandemia do novo coronavírus e os pagamentos do auxílio emergencial, a indústria cervejeira nacional passou por um ano diferente em 2020.

O consumo da bebida aumentou 0,7% no Brasil no ano passado, em comparação com 2019 – mesmo com bares e restaurantes fechados ou atendendo clientes com limitações durante boa parte do período.

O crescimento faz parte de estimativa da Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil). Em entrevista à CNN Brasil, Paulo Petroni, presidente da CervBrasil, disse que o resultado “foi um susto positivo” para os empresários. Alguns ajustes, no entanto, foram necessários.

Antes da pandemia, 60% do consumo de cervejas era registrado em garrafas retornáveis. Por causa do distanciamento social, houve uma inversão: 30% das vendas foram de garrafas retornáveis, enquanto os outros 70% foram comercializados em embalagens descartáveis.

Essa mudança no comportamento do consumidor trouxe também problemas para o setor. Os fornecedores de latinhas, por exemplo, estavam sem estoque da embalagem e o fornecimento só voltou a ao normal em janeiro deste ano, quando as vendas de cerveja diminuíram.

Petroni destaca que as vendas diminuíram justamente depois que o governo parou de pagar as parcelas do auxílio emergencial. Durante o segundo semestre de 2020, época em que a maior parte do auxílio foi pago, as vendas de descartáveis foram bem mais intensas, explicou.

 

Fonte: MSN – 08/02/2021

guia fornecedores