Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

 

 

 

anuário da cerveja 2019

 

INTRODUÇÃO

O crescimento da atividade cervejeira no Brasil vem avançando de forma sustentada nos últimos anos e os números de registro de cervejarias e de cerveja, que esse anuário traz, confirmam essa tendência.

REGISTRO DE ESTABELECIMENTOS

Alcançou-se a marca de 1.2091 cervejarias registradas em 26 Unidades da Federação, somente o estado do Acre ainda não possui cervejarias registradas. Em 2018, quando o país atingiu a marca de 889 cervejarias, foram registrados 210 novos estabelecimentos, sendo que a cada dois dias uma cervejaria abria as portas no Brasil. Já em 2019 o crescimento foi ainda maior, foram 320 novas cervejarias registradas, ou seja, quase uma nova cervejaria por dia no país. A seguir temos o crescimento nos últimos vinte anos de cervejarias registradas no Ministério da Agricultura, Pecuária e Estabelecimento.

anuário da cerveja 2019
Gráfico 1: Número de registro de estabelecimento por ano

O crescimento no número de estabelecimentos se mostra constante nos últimos vinte anos, com uma taxa média de 19,6% de crescimento por ano. Recentemente esta taxa de crescimento cresceu, sendo de 26,6% se analisado o período dos últimos 10 anos e 36,4% no período de 5.

A distribuição por unidade da federação ainda mantém a concentração na região Sul-Sudeste com mais de 80% dos estabelecimentos, mas mostra grande avanço na região Nordeste. O estado que apresenta maior número de cervejarias é São Paulo que ultrapassou o Rio Grande do Sul do último levantamento para o atual, seguidos de Minas Gerais, Santa Catarina e Paraná acima das cem cervejarias. Após Rio de Janeiro e Espírito Santo, Goiás é o primeiro estado fora da região concentrada já mencionada. Abaixo temos os dados de cervejarias por unidades da federação.

1 Todos os dados desse trabalho possuem uma margem de erro não ponderada, já que existe um processo de migração interna dos dados para o Sistema Integrado de Produtos e Estabelecimentos Agropecuários – SIPEAGRO. Esse processo está sendo feito de forma gradual como esclarece normativa que instituiu este sistema (Instrução Normativa nº 34, de 21 de outubro de 2015). Disponível em: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?jo rnal=1&pagina=4&data=23/10/2015
anuário da cerveja 2019
Gráfico 2: Número de registros de estabelecimento por Unidade da Federação
Apesar da maior concentração de cervejarias nos estados do Sul e Sudeste, alguns estados do nordeste do país, como Rio Grande do Norte, Alagoas e Bahia, apresentam crescimentos notáveis com taxas de 122%, 75% e 68% respectivamente. Outro destaque importante é o estado do Espirito Santo com crescimento de 100%. A frente vemos os dez primeiros estados em número de cervejarias e seu crescimento médio nos últimos três anuários
Tabela 1: Número de cervejarias por estado, por ano e crescimento médio
anuario cerveja3

A taxa de crescimento dos cinco estados que contém maior concentração de cervejarias se mantém próxima a 40%. Em 2019 nota-se a destacada taxa de crescimento em estados com menor número de estabelecimentos como Bahia, com 69%, e o Rio Grande do Norte, com mais de 86%. Outro ponto importante é o estado do Espírito Santo na faixa de 77% de crescimento.

Na escala municipal o país continua avançando na sua distribuição de cervejarias. Em 2017 existiam 400 municípios com plantas cervejeiras, já em 2018 esse número passou para 479 e em 2019 alcançou 580, ultrapassando os 10% do total de municípios do país. Com um crescimento médio na casa de 20%, cada vez mais novos municípios possuem cervejarias e começam a desenvolver um novo mercado de cervejas.

Os municípios que possuem as maiores concentrações de cervejarias ainda se mantêm nas áreas Sul- Sudeste com o destaque para o município de Sorocaba que teve no período de 2017-2019 um crescimento de 485% no número de cervejarias. Nas capitais o avanço também foi destacado, na capital paulista, por exemplo, o crescimento foi de 200%, já na capital mineira que chegou a 87,5% de aumento no número de cervejarias de 2018 para 2019. A seguir os dados de evolução dos municípios e suas cervejarias.

 

Tabela 2: Número de Cervejarias por Município e crescimento 2019
anuario cerveja4

Em se tratando da densidade cervejeira vemos um progressivo aumento no número de cervejarias, fazendo a relação com o espaço ser mais intensa, ou seja, uma cervejaria atende um público mais próximo de suas localidades. Nesta edição o estado de Santa Catarina chegou ao mesmo patamar que o Rio Grande do Sul, que lidera a listagem. Nestes estados existe uma cervejaria a cada aproximadamente 48 mil pessoas, enquanto a média nacional é de 173 mil pessoas por cervejaria. No ano de 2017 a proporção nacional foi de 305 mil pessoas a cada planta cervejeira e no ano de 2018 era de 243 mil habitantes por cervejarias (hab/cerv).

Em se tratando de municípios, a densidade cervejeira mostra localidades nas quais a relação2 habitantes3 e cervejarias é muito estreita e a produção de cerveja está em toda parte, como por exemplo o município de Nova Lima-MG com uma cervejaria a cada aproximadamente 4.000 pessoas, sendo a cidade com maior densidade cervejeira. Abaixo temos os dez estados e municípios com essa proporção.

 

Tabela 3: Densidade Cervejeira UF e Municípios
anuario cerveja5
2. A relação habitantes/cervejarias foi pesquisada somente nos municípios com quartas cervejarias ou mais, podendo haver proporções que entrariam na listagem dos dez primeiros.
3. Dados de população extraídos da estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/ sociais/populacao/9103-estimativas-de-populacao.html
mapa cerveja2

Importante notar que as maiores relações estão em cidades com menos de 100 mil habitantes, evidenciando o grande impacto que a cultura cervejeira tem nos municípios pequenos. Contudo, o município de Nova Lima, com 22 cervejarias e pouco mais de 90 mil habitantes por cervejaria, não atende somente essa população, mas também a Região Metropolitana de Belo Horizonte. Dessa forma, voltamos o olhar para o município de Carlos Barbosa com 4 cervejarias e quase 30 mil habitantes, tendo uma relação de uma planta cervejeira a cada pouco mais de 7.000 pessoas. O último destaque dessa tabela é a concentração de municípios do Rio Grande do Sul, com 6 dos 10 com maior densidade cervejeira no Brasil.

Em se tratando da distribuição de cervejarias pelo território4 continental do Brasil temos uma extensão de 8.516.045 km2 e com 1.209 cervejarias temos uma cervejaria a cada 7.043 km², uma área um pouco maior que o Distrito Federal (5.780 km²). A título de comparação os Estados Unidos têm 9.834.000 km² de extensão territorial e 7.450 cervejarias, o que resulta em 1.320 km² (aproximadamente o tamanho do município de São Paulo - SP [1.521 km²]) a cada cervejaria.

 

Tabela 4: Unidades da Federação, Território e Cervejarias
mapa cerveja2

A relação território/cervejarias demonstra a proximidade que a população tem em relação aos locais de produção, neste ponto o Rio de Janeiro tem a maior concentração de cervejaria, com uma a cada 561 km² (área aproximada do município de Nova Iguaçu). Destacam-se também os estados de Santa Catarina e o Distrito Federal, a inda estada com grande extensão territorial como São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná e Minas Gerais.

4. As informações sobre a extensão territorial também foram coletadas do IBGE. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/geociencias/organizacao-do- territorio/estrutura-territorial.html

 

REGISTRO DE PRODUTO

Os registros de produto tiveram grande avanço no ano de 2019 e acompanham uma evolução que mostra crescente nos últimos anos. A cerveja continua sendo o produto mais registrado no MAPA alcançando o número de 9.950 registros, bem à frente do segundo lugar, polpa de fruta com 2.535, e dos demais, tais como o vinho 1.676, a bebida alcoólica mista 1.251, suco 1.094 e cachaça com 857. A cerveja em 2017 alcançou a marca de 5 mil novos registros, em 2018 o número chegou perto de 6 mil e 700 e a quase 10 mil neste último ano5.

Em 2019 atingiu-se a marca de 27.329 registros de cerveja válidos em todo o país. Como existem 1.209 cervejarias temos a média de aproximadamente 22 registros de produto por cervejaria. Esse número apresenta aumento se comparado publicação anterior (MAPA INFORMA: As cervejarias continuam a crescer - http://www.agricultura.gov.br/assuntos/inspecao/produtos-vegetal/pasta-publicacoes-DIPOV/ as-cervejas-continuam-a-crescer-pdf.pdf), na qual haviam 16968 registros de cerveja no país para 835 cervejarias, numa relação aproximada de 20 registros por cervejaria.

O ano de 2019 trouxe inovações quanto aos procedimentos relacionados aos registros de produtos, o que impactou o número de registros convencidos, com a publicação da Instrução Normativa IN nº 72 de 16 de novembro de 20186 que no seu artigo 11, parágrafo único descreve: “o registro será concedido automaticamente, ficando condicionada à disponibilização desta função no sistema SIPEAGRO”.

Dessa forma, após melhoria no sistema que entrou em operação em março de 2019 durante o Festival Brasileiro da Cerveja7, tivemos o primeiro registro automático8 de produtos do Brasil, sendo este uma cerveja. Assim, esses números cada vez maiores de registros de produtos se explicam pela inovação iniciada ainda em 2019. O MAPA acredita que essa inovação traz mais agilidade nos processos de registro de produto e reforça a responsabilidade dos produtores sobre a composição e denominação de seus produtos.

Nos gráficos 3 e 4, a seguir, temos em primeiro plano os números totais de registros, com o Rio Grande do Sul com maior número de registros e em segundo posto seguido pelo estado de São Paulo.

5. Importante lembrar que muitas cervejas que utilizam produtos de origem animal ainda são classificadas como bebida alcoólica mista, devido ao enquadramento disposto no decreto 6.871/2009 (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Decreto/D6871.htm). Com a alteração dessa norma por meio do decreto 9.902/2019 de 8 de julho de 2019 (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2019/Decreto/D9902.htm), a definição dos Padrões de Identidade e Qualidade – PIQ da cerveja passaram a ser determinadas pela Instrução Normativa nº 54 de 2001 com os mesmos parâmetros, somente por meio da Instrução Normativa nº 65 de 10 de dezembro de 2019 (http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/instrucao-normativa-n-65-de-10-de- dezembro-de-2019-232666262) o PIQ da cerveja foi alterado e produtos que antes eram classificados como bebidas alcoólica mista por uso de ingredientes de origem animal, puderam estampar em seus rótulo a denominação cerveja.
6. Disponível em: http://www.agricultura.gov.br/assuntos/inspecao/produtos-vegetal/arquivos/in-no-72-de-16-de-novembro-de-2018.pdf
7. Disponível em: https://abracerva.com.br/2019/03/18/ministerio-da-agricultura-lanca-plataforma-online-para-registro-de-novos-rotulos-de-cerveja/
8. Importante lembrar que mesmo sem a análise do fiscal, toda a legislação deverá ser seguida e antes de enviar a solicitação o usuário declara o cumprimento da mesma. A declaração tem os seguintes dizeres “Declaro para os devidos fins que tenho conhecimento de toda a legislação que versa sobre a Produção, a Padronização, a Classificação, o Registro, a Inspeção e a Fiscalização da presente bebida que pleiteio registro junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA e me comprometo a elaborá-la de acordo com as normas específicas, assumindo todo o ônus em caso de descumprimento da lei. Manifesto também que tenho ciência de que o registro ora requerido será concedido automaticamente, ou seja, sem análise prévia desse Órgão Fiscalizador, que se reserva o direito de, em caso de constatação de incompatibilidade com a legislação vigente, adoção das medidas legais cabíveis.”
anuario cerveja7
Gráfico 3: Registros de Produto totais por Unidade da Federação
anuario cerveja8
Gráfico 4: Registros de Produto por Unidade da Federação 2019

A distribuição dos registros totais e de 2019 mostram novamente a concentração na região Sul-Sudeste com quase 90% dos registros. Enquanto nos dados totais o Rio Grande do Sul (5813) e São Paulo (5430) estão bem à frente dos demais. Em se tratando somente dos registros concedidos em 2019 temos São Paulo (1428) com quase o dobro do segundo colocado Minas Gerais (790).

 

Tabela 5: Nº de Registros totais e 2019 por município
anuario cerveja9

Nos registros totais vemos três capitais nas primeiras posições e cinco na listagem das dez primeiras, tendo Porto Alegre-RS (1696) com mais que o dobro do segundo colocado Curitiba-PR (812). As outras cidades são de Minas Gerais, Rio Grande do Sul, São Paulo e Paraná. Já na listagem dos registros de 2019 o município de São Paulo salta para primeira posição acompanhando o grande avanço no número de cervejarias daquela localidade.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O grande crescimento no número de registros de cervejaria e cervejas se mostra sustentado em décadas e não percebe desaceleração desse movimento. Neste sentido podemos projetar o crescimento para os próximos anos com base no ritmo dos últimos períodos. Se olharmos para vinte anos de crescimento temos uma taxa média de 19%, nos últimos dez anos 26% e nos últimos cinco anos 36%. Diante desses dados o gráfico abaixo traz as projeções para cada uma dessas faixas de crescimento.

anuario cerveja10
Figura 6: Projeção de crescimento de cervejarias 2020-2025

 

Esse exercício de pensar o mercado cervejeiro no futuro é importante para findado o ano de 2020 verificar como a atividade se desenvolveu e os porquê de um crescimento mais tímido, diminuindo o ritmo de crescimento ou a manutenção das altas taxas de crescimento transformando o mercado cervejeiro com a abertura de centenas de cervejarias pelo Brasil e acompanhando a modificação do perfil de consumo.

Por fim, trazemos o mapa de símbolos pontuais proporcionais com a distribuição das cervejarias no Brasil de forma a evidenciar os locais de concentração da produção de cerveja o que ratifica a já descrita identificação do Sul-Sudeste como regiões com forte tradição cervejeira. Contudo, outras áreas no Centro-Oeste e Nordeste mostram franco avanço na instalação de novas cervejarias.

 

9. Disponível em: https://www.brewersassociation.org/statistics-and-data/national-beer-stats/
   
anuario cerveja11
Figura 1: Mapa de símbolos pontuais proporcionais com a distribuição das cervejarias no Brasil por município.

Na figura 1 todos os municípios que contém cervejarias estão contempladas com o grau mínimo de expressão dos símbolos e o seu raio aumenta proporcionalmente ao número de cervejarias registradas. Em destaque temos o município de Porto Alegre com 39 cervejarias, sobre diversas outros círculos que representam outros municípios com cervejarias, mostrando, assim a concentração que segue dessa região e só termina em Belo horizonte de maneira contínua, sobreponde as esferas. Essa forma de representação especializa todos os dados mostrados nesse anuário, enfatizando a concentração nas regiões Sul-Sudeste. Outro destaque é o arco formado no Nordeste Brasileiro nas capitais, Maceió, Recife, Natal e Fortaleza. Apensas Salvador não consta na listagem devido a impossibilidade de instalação de fábricas de cerveja devido ao seu plano diretor, assim é a cidade vizinha de Lauro de Freitas que recebe as cervejarias. Outro ponto relevante é o trajeto formado pelo Triangulo Mineiro e região de Goiânia em direção a Brasília.

 


Elaboração, distribuição e informações:
MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO
Secretaria de Defesa Agropecuária - SDA - Secretário: José Guilherme Tollstadius Leal
Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal – DIPOV - Diretor: Glauco Bertoldo
Coordenação–Geral de Vinhos e Bebidas – Coordenador-Geral: Carlos Vitor Müller
Esplanada dos Ministérios, Bloco D,
CEP: 70043-900, Brasília/DF
www.agricultura.gov.br
Coordenação Editorial: Assessoria Especial de Comunicação e Eventos
Equipe Técnica: Carlos Vitor Müller e Eduardo Fernandes Marcusso.

guia fornecedores