Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

 sidney raulino seed 300x178

Imagem: reprodução
Por Adriana Bruno

Época de festa, o carnaval também é uma oportunidade para que o varejo aumente o seu faturamento, especialmente em categorias como bebidas, snacks, fantasias, adereços e tudo o mais que couber na cesta colorida dos consumidores que irão curtir o período em casa ou nos blocos na rua.

Segundo a CNC, a festa deve movimentar R$ 8 bi em negócios pelo país afora, incluindo itens de consumo, turismo e até a contratação de mão de obra temporária para atender a demanda.

O carnaval 2020 acontece entre os dias 21 e 28 de fevereiro e a Fecomercio SP destaca que as vendas no varejo devem crescer 5% sendo que os segmentos que serão diretamente impactados pelo consumo nesses dias, como supermercados e vestuário, tendem a apresentar elevações de 2,5% e 6%, respectivamente.

Uma pesquisa da plataforma ShopFully mapeou o comportamento, intenção de compra e preferências do consumidor para os quatro dias de festa que marcam fevereiro.

De acordo com a pesquisa 40% dos entrevistados pretendem gastar dinheiro com bebidas, sendo que a cerveja foi o destaque, seguido por 16% com viagens, 8% com festas e 3% com fantasias e acessórios.

A disposição para consumir estará em alta: quase 62% devem gastar até R$500,00 nos quatro dias de folia. Expressivos 32% afirmaram que gastarão de R$ 1.000,00 a R$ 2.500,00. Outros 6% descararam que irão gastar mais de R$ 2.500,00 para o feriado prolongado.

Ponto de venda preparado

sidney raulino seed 300x178

Sidnei Raulino, CEO da Seed Digital 

Mas para transformar todas essas expectativas em realidade é preciso se preparar. Para Sidnei Raulino, CEO da Seed Digital, é essencial que o varejo utilize dados históricos de demandas sazonais com o intuito de otimizar o estoque sem correr risco de ruptura, além de fazer renegociações de valores, exposição de gôndola e volume de produtos – tudo isso leva a um melhor aproveitamento nas vendas desse segmento. “Além disso, é uma boa época para aumentar a base de clientes fidelizados, oferecendo descontos exclusivos em produtos premium, que têm menos saída, sendo necessário o cadastro de clientes para se ter acesso à promoção. Outro ponto importante é oferecer produtos refrigerados prontos para o consumo, estimulando a compra do cliente”, recomenda.

Ainda de acordo com Raulino, dentre as categorias com maior destaque no período higiene, snack foods/porções prontas e açougue são as mais impactadas, além disso, produtos complementares como gelo e filtros solares, acompanham a alta demanda das bebidas, sendo necessário uma estratégia similar para não haver ruptura.

Uma ação comum nessa época são as promoções e para quem já está pensando no que fazer, Raulino lembra que sempre que se fala em promoção, é inevitável pensar na margem. “Uma boa estratégia é ajustar os preços de acordo com a combinação de compra. Por exemplo: desconto no destilado, porém para sucos, energéticos e gelo pode-se trabalhar com margens superiores, atraindo o consumidor por conta do desconto, sem perder rentabilidade adicional da época”, orienta.

Cuidado com as perdas

Os comerciantes do varejo, em geral, precisam estar atentos ao período para evitar perdas, especialmente por furtos. Segundo Luiz Fernando Sambugaro, diretor de Comunicação da Gunnebo, lojas localizadas na rua no percurso dos desfiles de blocos, por exemplo, além das farmácias, drogarias e supermercados são os canais que mais podem sofrer com os furtos. Itens como fantasias, adereços, roupa de praia, bronzeadores, bebidas energéticas e alcoólicas, carnes nobres, preservativos, entre outros, devem ter maior atenção do comerciante nesse período.  “A primeira coisa que se recomenda são as câmeras estrategicamente posicionadas e monitoradas pela equipe local ou através de um serviço remoto. Em seguida, do ponto de vista de inibição, as antenas eletrônicas colocadas na entrada das lojas, são muito eficazes, pois o delinquente ao vê-las, com muita probabilidade evitará de entrar em seu estabelecimento”, diz o executivo.

 

Fonte: New Trade - 10/02/2020

guia fornecedores