Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

4º mes e1571665288727

País negociou US$ 6 milhões com o mercado externo em setembro, um aumento de 18,9% na comparação com o mesmo período de 2018

A exportação de cerveja brasileira registrou crescimento pelo 4º mês consecutivo ao negociar US$ 6,01 milhões com o mercado internacional em setembro, de acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Isso representou um aumento de 18,9% na comparação com o mesmo período de 2018. Mas os dados negativos dos primeiros cinco meses de 2019 ainda impedem a recuperação plena do setor neste ano.

Somados os nove primeiros meses de 2019, a diminuição da exportação de cerveja é de 8,6% na comparação com 2018, com US$ 53,78 milhões do produto nacional tendo sido negociados nesse período.

A recuperação pelo 4º mês seguido também é verificada pelo volume exportado em setembro. O país negociou 9,77 mil toneladas de cerveja com o mercado externo, um aumento de 15,3% no comparativo com o nono mês de 2018. Mas a queda se mantém no acumulado do ano, em 10,8%, com 80.672,24 t.

Com esses números, a cerveja é responsável por apenas 0,03% das exportações brasileiras de janeiro a setembro de 2019, ocupando a 187ª posição entre os produtos negociados pelo país ao exterior, mesmo colocação que estava em agosto.

Os principais destinos da cerveja brasileira continuaram sendo países da América do Sul, especialmente o Paraguai, com 82%. Bolívia (10%), Uruguai (3,7%) e Argentina (0,65%) são outros países com exportação relevante do produto.

Dos quatro principais importadores da cerveja brasileira, apenas o Paraguai aumentou a sua compra, com variação positiva de 9%. Já Bolívia, Uruguai e Argentina reduziram suas aquisições em 19,9%, 33,5% e 95,4%, respectivamente.

Já os maiores estados exportadores de cerveja foram São Paulo, com participação de 74,5%, Paraná, com 20,1%, Rio Grande do Sul, com 3,03%, e Mato Grosso, com 0,84%.

 

Fonte: Guia da Cerveja – 21/10/2019

guia fornecedores