Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

Localizada na região do incêndio, Sierra Nevada criou receita e distribuiu para outras marcas. Dinheiro das vendas será revertido para vítimas

sierra nevada resilience

Assuntos de grande repercussão movimentaram o mercado da cerveja de maneiras diferentes nos Estados Unidos e no Reino Unido. Enquanto as atenções dos britânicos ficaram por conta do Brexit, o “Camp Fire”, maior incêndio que já atingiu a Califórnia, ultrapassou a mesa do bar e chegou às cervejarias norte-americanas.

Por todo o país, marcas estão produzindo a mesma cerveja, batizada de Resilience Butte County Proud IPA, nome da localidade mais atingida pelo fogo que deixou 88 mortos, 196 desaparecidos, destruiu quase 14 mil moradias e devastou grandes áreas de floresta.

Trata-se de uma iniciativa da californiana Sierra Nevada, que fica na cidade de Chico, a 37 quilômetros de Butte, foco do incêndio. Casas de funcionários da empresa foram atingidas. Para auxiliar as vítimas e reverter 100% do valor das vendas a um fundo de apoio à reconstrução de Butte County, a marca está providenciando a receita e, junto de seus fornecedores, a matéria-prima para que cervejarias e brewpubs de todo o país também produzam a IPA.

“Sabemos que o processo de reconstrução vai levar muito tempo, mas estamos juntos nessa longa batalha. Esperamos levar a Resilience IPA a taprooms de todo o país e criar uma base sólida para o futuro da nossa comunidade”, afirma Ken Grossman, fundador da cervejaria, em comunicado.

E os resultados apareceram imediatamente: na quinta, dia 29 de novembro, a ação anunciada no dia 27 já contava com mais de mil microcervejarias participantes. O início das vendas deve acontecer no final de dezembro.

Brexit impulsiona consumo?
A importante ação norte-americana, porém, não foi a única a entrelaçar cerveja e questões nacionais. No Reino Unido, o acirrado debate em torno do Brexit – sua provável saída da União Europeia – pode estar exercendo efeito positivo no mercado. A rede de pubs Greene King afirma ter observado aumento no movimento de suas 2.900 unidades espalhadas pelo país, e “culpa” a polêmica por isso.

“As pessoas estão cansadas do Brexit, e isso está se traduzindo em benefícios para os pubs. Nossas vendas subiram 2,9%”, afirmou Rooney Anand, executivo-chefe da companhia, que produz cervejas como a Greene King IPA e a Old Speckled Hen. “Os pubs estão se beneficiando em alguns aspectos, pois cada vez que ligamos a televisão, o rádio ou lemos o jornal, tudo que você ouve é sobre o Brexit, e isso não anima”.

Correto ou não o diagnóstico de Anand, de fato há números para usar como justificativa. O lucro calculado antes de impostos da Greene King cresceu 3,2% e chegou a US$ 163,84 milhões nas 24 semanas anteriores até 14 de outubro. A empresa anunciou também que as vendas comparáveis da Pub Company, braço que administra sua cadeia de pubs, restaurantes e hotéis, aumentaram 2,7 %. E, mesmo no clima pré-Brexit, as reservas para o Natal estão muito acima das do ano passado.

Fonte: Guia da Cerveja – 30/11/2018

guia fornecedores