Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

A cervejaria Cintra, que detém 1,7% de participação no mercado nacional de cervejas, está investindo R$ 25 milhões numa campanha de marketing para apresentar ao consumidor um novo posicionamento e nova roupagem. Desenvolvida pela agência Carillo Pastore Euro RSCG, a propaganda na TV - ao todo serão cinco filmes - será veiculada no Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo e ficará no ar até março de 2005. "A mídia de cerveja esteve muito congestionada no passado recente", disse Antonio Pires, diretor geral da Cintra, ao Valor. "Aproveitamos essa janela que se abre agora para nos mostrarmos ao consumidor", acrescentou Pires. O objetivo da companhia é fortalecer sua presença no Rio de Janeiro. O mercado fluminense, segundo o SINDICERV, é o terceiro do país - atrás de São Paulo e interior de São Paulo, que juntos detém 29% - e responde por cerca de 13% do mercado brasileiro. Segundo dados ACNielsen, em três anos, a empresa aumentou sua participação de mercado no Rio de Janeiro em 475%. Em setembro, a cervejaria tinha 6,9% de participação no Estado. "Nossa meta é aumentar essa participação para 10% nos próximos 12 meses", afirma.

No mercado fluminense, de acordo com Pires, a Cintra já é a quarta cerveja mais vendida depois das principais marcas da AmBev. A empresa também está investindo nas parcerias de distribuição nos três Estados nos quais a campanha estará no ar para dar suporte à demanda que tiver em função da mídia. A Cintra alterou 30% de sua rede de distribuição na Região Sudeste em 18 meses e hoje está presente em 82 mil pontos-de-venda, afirma o diretor. A Cintra Pilsen - alvo da campanha - é o único produto da cervejaria, que pertence ao grupo português de mesmo nome, que iniciou suas atividades no Brasil em 1997.

A primeira fábrica foi a de Mogi-Mirim, interior de São Paulo, e tem capacidade de produção de 120 milhões de litros anuais. A segunda está localizada em Piraí, no Rio de Janeiro, e pode produzir até 300 milhões de litros anuais. Segundo Pires, atualmente, a empresa trabalha com 62% de sua capacidade produtiva - cerca de 260 milhões de litros. "Depois da campanha, deveremos alcançar entre 85% e 90% de nossa capacidade de produção", afirma o diretor-geral da companhia. A empresa tem planos de investir R$ 40 milhões nos próximos três anos para ampliar a produção. O faturamento da Cintra no ano passado foi de R$ 265 milhões e para este ano, de acordo com Pires, a previsão é fechar na casa dos R$ 300 milhões. Em Portugal, o grupo atua em diferentes segmentos, de água mineral e negócios imobiliários a petróleo. O negócio de cervejas passou a ser desenvolvido em Portugal depois que a empresa começou a operar no Brasil. A cerveja vendida em Portugal é produzida no país e tem diferença na formulação - é mais forte. Hoje, a Cintra exporta 5% da produção para países como Chile, Bolívia, Colômbia, Argentina e Angola. "Estamos em negociações também com Estados Unidos e China", afirma o diretor.

Fonte: Valor Econômico - Empresas & Tecnologia - Outubro/2004

guia fornecedores