Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

Cervejarias independentes saltaram de 679 para 835 entre dezembro de 2017 e setembro de 2018, totalizando 169.681 produtos registrados

Às vésperas das aguardadas eleições, o setor recebeu uma excelente notícia. Segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgados nesta quinta-feira, o número de cervejarias artesanais independentes saltou de 679 para 835 entre dezembro de 2017 e setembro de 2018, um expressivo aumento de 23%. São, ainda, 169.681 produtos registrados por estes estabelecimentos.

Realizado pelo geógrafo Eduardo Marcusso e pelo auditor fiscal federal agropecuário Carlos Vitor Müller, o estudo revela também que a Região Sul segue com o maior número de cervejarias, agora com 369. Em seguida aparecem Sudeste (328), Nordeste (61), Centro-Oeste (51) e Norte (26).

Por estados, por sua vez, o Rio Grande do Sul ocupa o primeiro lugar tanto em número de cervejarias (179) quanto em densidade (cervejarias x habitante). Já São Paulo vem em segundo (144) na quantidade de negócios, seguido por Minas Gerais (112), Santa Catarina (102), Paraná (88), Rio de Janeiro (56), Goiás (25), Pernambuco (18), Espírito Santo (16) e Mato Grosso (12).

“O volume de público interessado e comprando a bebida artesanal também está se ampliando. Entendemos que a expansão na oferta faz com que mais pessoas sejam atendidas e percebam sensorialmente os diferenciais dos produtos artesanais”, avalia Carlo Lapolli, presidente da Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva).

Mas, tão importante quanto os aspectos sinestésicos, segundo Lapolli, é que o público também começou a entender a diferença entre as cadeias. A Abracerva, por exemplo, estima que as cervejarias artesanais independentes geram 15 vezes mais emprego por litro produzido do que as grandes marcas.

“Depois do impacto positivo no paladar, o público vai se informar e perceber que a diferença entre as artesanais e comerciais não está só no copo, mas em toda a cadeia produtiva”, completa Lapolli.

Vale ressaltar, contudo, que essas 835 cervejarias estão longe de representar toda a cadeia. Devido às dificuldades de registro no Mapa, muitas ainda operam informalmente. Se somadas às ciganas e caseiras, esse número poderia ultrapassar a casa dos 5 mil.

Confira, a seguir, segundo gráfico do Ministério da Agricultura, a evolução do número de artesanais brasileiras nas últimas décadas:

gráfico Número de cervejarias artesanais sobe 23 em apenas 9 meses

Fonte: Guia da Cerveja – 04/10/2018

guia fornecedores