Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

BBP IPA 2017 Erwin Oliveira Agencia Kah 216

BBQ IPA 2017 – Erwin Oliveira – Agência Kah-216

Festa será no dia 18 de agosto na Cervejaria com direito a muita música e churrasco da melhor qualidade

A tão aguardada lista de cervejarias participantes do BBQ IPA 2018 da Backer está liberada e conta com fortes nomes no cenário nacional. São elas: Tupiniquim, Everbrew, Roleta Russa, Verace, Dogma, Koala, OverHop, Bodebrown e 5 Elementos, além é claro dos rótulos já conhecidos da própria Backer como Pele Vermelha, Diabolique e Tommy Gun e aqueles produzidos exclusivamente para o evento: Capetinha, Capetinha com Café, Milkshake IPA, Black IPA do Cerrado.

O BBQ IPA Backer está marcado para o dia 18 de agosto (sábado), das 13h às 19h, na Cervejaria Backer, Broncco Billy, Lili Band e Mandrix são as bandas convidadas para esta edição e a festa conta com o patrocínio do Super Nosso, CumPaino e Fazenda Alegria. com direito a open bar e open food, incluindo além das IPAS, o chope Backer Pilsen, água e refrigerante.

Mas se a parte etílica está caprichada, a parte gastronômica promete um show à parte, com uma seleção de chefs de primeira qualidade. Além de churrasco de maminha ao vinho, bife de chorizo, picanha maturada, lombo ao vinho, linguiça de pernil e contra coxa desossada e também tilápia grelhada ao molho de alcaparras, a Parrilla do Templo Cervejeiro vai ter churrasco de chorizo Angus, queijo coalho e milho orgânicos, preparado pela chef Susan Rodrigues.

A área externa terá trutas assadas na brasa (Chef Felipe Galastro); pães assados na brasa, acompanhados de cozido de cordeiro e tomates (Chef Camilo Gazzinelli e Chef Luciana Martins); sanduíche de fraldinha Angus com rúcula, maionese caseira e chimichurri na baguete artesanal (Chef Renato Lobato); carnes serenadas e defumadas (Chef Flávio Trombino); pernil suíno curado (Chef Heloy Pereira) e churrasco de ancho Angus, brisket e chorizo Wagyu (Chef Gael Paim, Chef Antônio Marreta, Caio Soter, Gui Piancastelli).

Sobre as IPAs

É sempre interessante conhecer um pouco da história por trás dos estilos e segue aqui um resumo da origem da India Pale Ale, que tanto agrada o paladar mundial dos apaixonados por lúpulo. As informações foram coletadas do site Beba Melhor. É fato que os ingleses já foram grandes conquistadores e colonizadores do mundo inteiro e países como Jamaica, Canadá, Nigéria, Paquistão, Estados Unidos, Austrália, África do Sul e, claro, Índia, estão na lista de mais de 50 países que são ex-colônias inglesas.

A relação colônia x império gerava uma troca constante entre os países, tanto de produtos, bens comerciais e especiarias, quanto de cultura. Esse "espalhar" pelo mundo foi um dos maiores responsáveis pela disseminação da língua inglesa, por exemplo. Mas não parou por aí e além da língua, eles também exportaram o paladar. Como não dá para colonizar sem colonos, bravos e ambiciosos soldados, comerciantes e administradores ingleses que escolheram viver nas "Indias" deixaram tudo para trás, menos seu gosto por cervejas britânicas. E como o navio que exporta não pode voltar vazio, o país passou a importar muita cerveja do império, já que com o calor local, era praticamente impossível produzir cervejas.

Até 1790, as cervejas que eram vendidas para lá não tinham marcas que as identificassem. Eram commodities como arroz ou açúcar. O nome do estilo apareceu entre 1829 e 1835, quando mencionado em jornais australianos, para onde algumas remessas de Pale Ale inglesas seguiam e, posteriormente, em jornais ingleses como o Liverpool Mercury. Anteriormente, a India Pale Ale também já foi chamada de "Pale ale 'preparada' para a Índia", "Índia Ale", "Pale India Ale", "Pale Export India Ale" e outras variações.

O estilo sofreu uma queda de popularidade em meados do final do século XIX, momento em que as inovações como a refrigeração estavam a todo o vapor e permitiram a expansão do consumo das Lagers, altamente refrescantes, que agora podiam ser produzidas em regiões quentes, como na Índia.

Mesmo com esse avanço das Lagers, a Inglaterra foi um dos poucos países que não passou pela hegemonia das cervejas de baixa fermentação, o que contribuiu para a continuidade no consumo das Ales no próprio país. No final do século XX, o estilo encontrou forças nas mãos dos cervejeiros americanos, que revisitaram antigas receitas e estilos históricos, tentando recriar, por exemplo, a clássica IPA de Peter Ballantine – Imigrante escocês nos EUA em 1830 que produzia uma IPA cuja receita era muito fiel à original.

A utilização dos lúpulos americanos enriqueceu os sabores e aromas da IPA, pois apresentavam características mais intensas. O estilo ganhou popularidade pelo país, conquistando adeptos e os famosos "lúpulomaníacos" (hopheads, em inglês), ocasionando, posteriormente, na criação do que conhecemos hoje como Double / Imperial IPA.

Com esse novo sopro de vida sobre as IPAs, as mentes criativas dos cervejeiros foram responsáveis pelo surgimento de alguns sub-tipos de IPA ao longo do tempo. Todos eles seguem de alguma forma a base do estilo que os deu origem, mas acrescentam características novas e instigantes: White IPA (uma invenção americana com o cruzamento entre uma Witbier e uma IPA), Black IPA (criada por volta de 1990 nos EUA, também conhecida como Cascadian Dark Ale), West Coast IPA (IPAs originárias da costa oeste americana, em que a presença extrema do lúpulo é sua característica mais marcante), East Coast IPA (IPAs da costa leste americana que são mais parecidas com as English IPAs, pois há um maior equilíbrio entre o malte e o amargor) e Session IPA (IPAs leves, com teor alcoólico abaixo de 5%, maior suavidade na carga de lúpulos e malte).

A lista continua com New England IPA, Belgian IPA (estilo criado por volta dos anos 2000, sua principal característica é a utilização de leveduras belgas na receita de American IPA), Red IPA (tem como base uma American IPA, mas com um perfil de malte que remete à American Amber Ale), Brown IPA (nome americano para uma receita já conhecida por eles e estima-se que seja uma variação da American Brown Ale, porém com maior carga de lúpulo) e, por fim, a Rye IPA (com adição do centeio, teve como objetivo aumentar a complexidade e é considerado um estilo relativamente novo, também chamado de RyePA ou mesmo RIPA).

Ingressos

Os ingressos custam a partir de R$ 200 e estão disponíveis para compra no próprio Templo Cervejeiro da Backer ou nos quiosques da Central dos Eventos ou via Central dos Eventos online – https://www.centraldoseventos.com.br/events/show/bbq-ipa-backer (inclui cobrança de uma taxa de 10%). Os pontos físicos são:

  • Templo Cervejeiro Backer
  • Horário de funcionamento: segundas (fechado), terças (11h30 às 15h), quartas e quintas (11h30 às 15h e 18h à 0h), sextas e sábados (11h30 à 0h) e domingos (11h30 às 16h)
  • Quiosques Central dos Eventos em BH
  • Savassi | Loja Central dos Eventos – Rua Fernandes Tourinho 470, Loja 16
  • Galeria C&A Centro | Loja Central dos Eventos
  • Shopping Pampulha Via Brasil | Loja Central dos Eventos
  • BH Shopping | Loja Chilli Beans
  • Pátio Savassi | Loja Chilli Beans
  • Minas Shopping | Loja Chilli Beans
  • Quiosque Central dos Eventos em Contagem
  • Big Shopping Contagem | Quiosque Central dos Eventos
  • Quiosque Central dos Eventos em Sete Lagoas
  • Shopping Sete Lagoas | Quiosque Central dos Eventos
  • Shopping Lagoa | Quiosque Central dos Eventos

BBQ IPA da Backer
Data:
 18 de agosto de 2018 – sábado
Horário: 13h às 19h
Local: Cervejaria Backer (Pátio Cervejeiro)
Endereço:Rua Santa Rita, 221 – Olhos D'água – BH
Ingressos: R$ 200,00 (1º lote), R$ 225,00 (2º lote) e R$ 250,00 (3º lote)
Telefone: (31) 3228-8888
Facebook:https://www.facebook.com/CervejariaBacker/
Instagram:https://instagram.com/cervejariabacker
Evento para maiores de 18 anos
Proibido levar bebidas

Divulgação: Primeiro Plano

Fonte: Guia GPHR - 13/08/2018

guia fornecedores