Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

A AmBev, dona de marcas como Skol, Brahma e Antarctica, lançou em 26.8. sua mais nova cerveja, a Liber, que se intitula a primeira e única sem álcool do País e que pertence ao portfólio dos produtos da marca Brahma. Mas a Kronenbier, da própria AmBev não é sem álcool? A gerente de Marketing de Brahma, Lígia Gonçalves, diz que não. E explica: "A legislação brasileira classifica como "sem álcool" cervejas com até 0,5% de teor alcoólico em volume e a Kronenbier e as concorrentes Bavaria e Nova Schin sem álcool estão nessa categoria. "O que a AmBev pretende, agora, é criar um novo mercado, o das cervejas 0,0% sem álcool", diz Lígia. Hoje, as cervejas sem álcool têm uma fatia de 0,75% das vendas do País, que giram ao redor de R$ 10 bilhões. Nesta categoria, diz Lígia, "em mercados como a Espanha esse tipo de cerveja tem fatia de 6% das vendas. “Nossa aposta é que a participação do produto aumente”. De qualquer forma, 88% do volume de cerveja sem álcool produzido são consumidos nas Regiões Sul e Sudeste, onde a disputa das marcas é mais visível. Por isso mesmo, nesta fase inicial, a Liber será vendida nas embalagens lata (350 ml) e long neck (355 ml) e distribuída apenas nas regiões Sudeste e Sul, ancorada por publicidade criada pela agência Africa, de Nizan Guanaes. Segundo Lígia, o que muda entre a Liber e a Kronenbier é o processo de produção. "As cervejas sem álcool hoje vendidas no País têm o seu processo de fermentação interrompido, aí se retira parte do álcool." No caso da Liber, diz ela, o processo de fermentação é integralmente concluído e só após é que se faz a retirada integral do álcool, preservando sabor e cor. Para isso, a AmBev importou equipamentos de dealcoolização da Alemanha, que retiram o álcool. No mundo, apenas alguns países possuem a tecnologia, a exemplo de Espanha, Egito, Líbano, Alemanha, China e Bélgica. Com um volume de vendas de cerveja que não cresce nos últimos cinco anos, as cervejarias como a AmBev encontraram na diversificação de portfólio, a exemplo das cervejas de trigo e escura, uma forma de manter o faturamento do setor com produtos de maior valor.

Fonte: O Estado de São Paulo - Economia

guia fornecedores