Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

A SABMiller PLC aumentaria significativamente sua fatia do mercado canadense e ganharia outras vantagens se conseguisse incorporar a cervejaria canadense Molson Inc., dona da Kaiser, mas a cervejaria sediada em Londres enfrenta enormes obstáculos para completar tal união. A SABMiller, terceira maior cervejaria do mundo em volume, está na fase inicial das negociações com Ian Molson, ex-executivo da Molson, e o conglomerado canadense Onex Corp. sobre uma possível oferta conjunta para comprar a Molson, de acordo com o que foi divulgado em 15 de setembro. Se uma oferta liderada pela SABMiller se concretizasse, ameaçaria a fusão proposta da Molson com a americana Adolph Coors Co. anunciada em julho.

A Molson detém 44% do mercado canadense, mais de dez vezes o que a SABMiller tem atualmente por meio de suas marcas Miller.

Um acordo da SABMiller com a Molson também lançaria um ataque contra a belga InBev SA, a maior cervejaria em volume do mundo, criada recentemente com a fusão da belga Interbrew e a brasileira AmBev e que possui a principal rival canadense da Molson, a Labatt Breweries of Canada. A Molson também reduziria a dependência da SABMiller nos voláteis mercados em desenvolvimento. E daria uma forte pancada na Coors, rival da SABMiller, que conta com a fusão com a Molson para ajudar a melhorar sua sorte nos Estados Unidos. Mas qualquer que seja a potencial oferta conjunta da SABMiller, da Onex e de Ian Molson pela Molson, ela teria de tirar do caminho uma série de obstáculos de vulto. Um dos maiores deles é um contrato entre a Molson e a Coors, que contém cláusulas contra qualquer oferta de um rival. A fusão proposta entre a Molson e a Coors tem enfrentado o ceticismo de alguns dos acionistas da Molson, entre eles Ian Molson, que argumenta que a Coors está ganhando controle efetivo sobre a administração da Molson sem pagar um prêmio para os acionistas. Mas o presidente do conselho, Eric Molson, junto com outros membros da família, controla a maior parte das ações com direito a voto e provavelmente tentaria impedir qualquer oferta idealizada para desafiar o acordo com a Coors. A transação com a Coors está sujeita a aprovação de três terços dos acionistas de cada classe de papéis da Molson. Isso pode dificultar a vida da SABMiller, que gostaria de ter um papel importante na parte operacional da empresa e de comprar o controle da Molson mais tarde. A empresa não está interessada em se envolver numa batalha de oferta hostil de compra, dizem pessoas a par do assunto, já que ela recentemente perdeu uma batalha de ofertas contra a americana Anheuser-Busch Co. pelo controle da chinesa Harbin.

Mesmo que a SAB possa superar o obstáculo inicial, a empresa enfrenta outro enorme problema: ela ainda tenta recuperar sua marca Miller nos EUA. Há dois anos, ela comprou toda a Miller Brewing Co. da Philip Morris Co. - agora chamada de Altria -, por US$ 3,6 bilhões em ações e ainda assumiu US$ 2 bilhões em dívidas. A aquisição ajudou-a a atingir o status de terceira maior cervejaria do mundo em termos de volume e lhe deu acesso ao mercado americano. Nos últimos meses, a marca Miller Lite tem apresentado melhora significativa depois de anos em declínio, graças, em parte, a um remodelamento de sua imagem que ajudou a maior marca da Miller a apresentar um ganho de 0,6% em volume em 2003, segundo a Beer Marketer's Insight, uma publicação especializada do setor. Até 22 de agosto, a Miller Lite havia apresentado um ganho de 12,7% em volume de vendas nos supermercados, de acordo com dados da Information Resources Inc., uma empresa de pesquisa de mercado de Chicago.

Fonte: O Estado de São Paulo (The Wall Street Journal)

guia fornecedores