Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

A Rússia e a China apresentam boas taxas de crescimento dos negócios, em contraste com a queda de vendas na Europa Ocidental e são os principais mercados em que a cervejaria Inbev se concentrará nos próximos meses, a fim de continuar sustentando a expansão de seus negócios. Fruto da união entre a brasileira AmBev e a belga Interbrew, a companhia concentra, atualmente, as vendas nos mercados já maduros da Europa Ocidental e América do Norte, e em países em desenvolvimento, como Brasil e o Leste europeu.

Segundo o executivo-chefe da companhia, John Brock, as vendas na Rússia estão crescendo rápido, mas a empresa ainda precisa "adquirir escala neste mercado". Na primeira metade do ano, o volume comercializado subiu 33%, puxado, sobretudo, pelas vendas da marca Stella Artois que cresceram 58%. A Inbev também sentiu os efeitos positivos do lançamento de outra marca local, a Sun Interbrew. Já na China, as vendas em volume subiram 16%, fomentadas por aquisições recentes de cervejarias e marcas locais.

Segundo o jornal britânico Financial Times, a estratégia de expansão nos mercados russo e chinês é um modo de contrabalançar o fraco desempenho nas regiões mais consolidadas. Na Europa Ocidental, por exemplo, as vendas da cervejaria belga caíram 1,8% em volume, no primeiro semestre.

Fonte: Portal Exame

guia fornecedores