Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

Faculdade de Engenharia de Alimentos é um dos locais em Campinas (SP) que oferece formação para que amantes da bebida possam realizar suas criações.

A sede dos bebedores de cervejas por conhecimento tem movimentado o mercado dos cursos de formação ou especialização na área. Na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA) já está na 10ª turma em seu curso de extensão de produção de cerveja artesanal.

Em 24 horas divididas em três sábados, os alunos aprendem informações básicas e logo começam a produzir suas cervejas. Ao todo são produzidos 60 litros, sendo 20 litros de cada estilo.

“Produzimos uma APA (American Pale Ale) na qual o lúpulo tem o destaque; uma Weiss (cerveja de trigo), na qual o destaque é a levedura e uma Stout (cerveja escura feita com malte torrado), onde os maltes mostram sua função”, explica Flávio Luis Schmidt, professor doutor e diretor associado da FEA.

Schmidt ministra o curso aberto ao público e explica que o diferencial é que os alunos têm a oportunidade de comparar suas criações com produtos comerciais do mesmo estilo. No programa da extensão, há testes cegos e horas dedicadas a uma introdução ao mercado da cerveja e legislação.

De acordo com o professor, o público que procura a extensão em produção de cervejas artesanais da Unicamp é sempre bem diversificado. "As mulheres, mesmo que em menor número, sempre estão presentes." O curso ocorre uma vez por semestre.

Técnica pura

Para quem já é cervejeiro e quer corrigir algumas caraterísticas de sua bebida ou se aprofundar no tema, cursos ministrados por lojas especializadas em insumos são uma opção. Em Campinas, ocorrem workshops específicos de manipulação, conservação e propagação de leveduras; curso de envase, de análise sensorial e até mesmo do aplicativo mais usado por cervejeiros.

“Onde os cervejeiros mais erram é na fermentação. Então temos esse curso, muito procurado, das leveduras. Demos esse curso inclusive em grandes cervejarias porque a levedura é bem cara e nós ensinamos os caras a propagar sua levedura, economizando esse investimento”, afirma David Figueira, sócio-fundador da Lamas Brew Shop.

Em média, os cursos oferecidos em Campinas custam entre R$ 300 e R$ 400. Já o kit para a produção de cerveja com panelas e acessórios sai por R$ 1.700, em média, sem os insumos.

Novidade à vista

Indaiatuba recebe no próximo mês um braço do Instituto da Cerveja Brasil (ICB), instituição dedicada ao ensino sobre a bebida. A cidade será berço de uma "cervejaria escola", cujo objetivo é orientar, prestar consultoria e ensinar todas as técnicas e macetes para a produção de uma boa cerveja artesanal.

“Os alunos e ex-alunos vão poder produzir a cerveja deles com uma orientação técnica. Questões como temperatura, acidez e fermentação, por exemplo, possuem detalhes e características específicas. Todo o processo de fabricação será realizado com supervisão e quem quiser ainda terá consultoria para a marca e o rótulo”, disse Luis Fernando Amaro, um dos sócios do projeto do ICB em Indaiatuba.

Fonte: Por Paula Ribeiro, G1 Campinas e região - 17/08/2017

guia fornecedores