Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

A AmBev comemora o carnaval de forma antecipada. Na tarde da sexta-feira, o Instituto AC. Nielsen, que pesquisa os dados de mercado, informou a executivos da companhia que ela ganhou 1,1 ponto porcentual de mercado em janeiro, passando de 63,2% para 64,3%. Cada ponto desse mercado vale R$ 100 milhões. A alegria da AmBev foi ainda maior porque o Grupo Schincariol perdeu em janeiro 1,1 ponto porcentual de mercado, passando de uma participação de 15,2% para 14,1%. Desde que relançou a sua cerveja em setembro, como Nova Schin e um forte apelo publicitário de experimentação, em campanha criada pela Fischer America, a cerveja vinha incomodando a gigante AmBev. Tanto que, em novembro, a AmBev chegou a registrar participação de mercado de 62,6%, a mais baixa da história desde a fusão de Brahma e Antarctica em 2000, quando chegou a responder por 70% do mercado. Para o gerente de Comunicação Corporativa da AmBev, Alexandre Loures, a concorrente parece ter perdido o fôlego da fase de experimentação. "A bolha da experimentação passou. O mercado é novidadeiro. Experimenta o novo, mas depois volta para as marcas tradicionais e de qualidade." A Schincariol não comentou os novos números do mercado. Kaiser também comemorou crescimento em janeiro, só que bem mais modesto, de 9,4% para 9,6%, enquanto Bavaria, outro produto da canadense Molson, passou de 2,6% para 3%. Com uma fatia de 12,6%, a Kaiser tem como meta chegar a 20% até 2007.

Fonte: O Estado de São Paulo - Economia

guia fornecedores