Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

JORNALISTA AMERICANO COBRIU A OLIMPÍADA NO RIO E FEZ SUA PESQUISA PELOS BARES CARIOCAS PARA ENCONTRAR AS MELHORES CERVEJAS

Quando falamos de cervejas, cada país tem o seu gosto específico e suas marcas prediletas. Se aqui a mais vendida é a Skol, nos EUA é a Bud Light.

O jornalista americano Luke DeCock, que cobriu os Jogos no Rio, resolveu dar a sua humilde opinião sobre as melhores cervejas por aqui. Luke é do jornal The News & Observer, da Carolina do Norte.

Eis o ranking e a opinião da publicação:

5ª – SKOL

DeCock lembra que a Skol era a cerveja oficial dos Jogos. Para ele, é a pior. Diz que o gosto é comparável a meias molhadas e carpetes de fraternidades (repúblicas estudantis).

4ª – STELLA ARTOIS

Para ele, é exatamente igual à Stella de qualquer lugar do mundo. O mesmo gosto. Mas lembra que, no Brasil, a marca tem um “status” e é vendida como uma cerveja superior. No resto do mundo, é uma marca comum.

3ª – EISENBAHN PALE ALE

O jornalista analisa que microcervejarias e cervejas artesanais são difíceis de achar no Brasil. Ele gostou da Eisenbahn e disse que a marca está à altura dos padrões americanos e mundiais. “Perfeitamente aceitável”.

2ª – BRAHMA

Ele chama a marca de “clássica marca brasileira”. Lembra que “90% das vezes que você pedir um chopp, é uma Brahma que virá”. Para ele, é uma pilsner melhor que as marcas “de massa” nos EUA. Julgou ser suave.

1ª – ANTARCTICA

Eis a campeã após a jornada do jornalista pelos bares. Diz que, no gosto, não tem nada de especial, mas é melhor que a Brahma e iria, provavelmente, muito bem no mercado americano.

Fonte: New Trade- 29/12/2016

guia fornecedores