Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

Com cara, coragem, pouco investimento e muito planejamento os três apaixonados por cerveja Marcelo da Costa, Bruno Cardoso e Samuel Faria construíram a cervejaria Landel. Uma cigana que não precisa agendar com dono para produzir, uma marca muito carismática, ótimas parcerias e o objetivo de produzir cerveja boa, leve e barata é o que compõe a base dessa cervejaria. Como eles chegaram lá? Largando tudo e analisando muito.

Landel Cervejaria capa 1

“Estávamos mais ou menos no mesmo momento, cansados do que a gente fazia (como profissionais), queríamos fazer alguma outra coisa. E foi na Brasil Brau de 2013, depois de muita cerveja, a gente resolveu que ia começar fazer alguma coisa juntos”, conta Samuel Faria. E foi assim que a vontade da cervejaria nasceu nos três. Depois de muitas brassagens caseiras, realizadas na casa do Bruno, em Campinas, eles tomaram a decisão de abrir a Landel. “Foi um negócio novo e tudo aconteceu muito rápido até montarmos a cervejaria”. Todos largaram os empregos, Samuel vendeu o bar que tinha em Vitória e mudou para Campinas. De julho de 2013 até novembro do mesmo ano eles se dedicaram ao planejamento de negócios. “Primeira coisa que decidimos foi que precisávamos largar tudo e nos dedicarmos 100% para montar a cervejaria”, afirma Samuel.

Landel Cervejaria capa 1

Depois de convencer o dono da Cervejaria Universitária a aceitar o modelo de negócio que eles haviam desenvolvido – ter seus próprios tanques dentro de uma cervejaria ao invés de se submeter ao modelo cingano de terceirização – a Landel nasce em dezembro de 2013. Com 2 tanques e os insumos da primeira brassagem eles fizeram uma Session IPA, a cerveja favorita dos 3 sócios. “A gente não achava que seria a cerveja que venderia mais, fizemos porque gostávamos de beber. Pensamos que a dry hopping German Pils venderia mais”, conta Samuel. Com mil litros da cerveja pronta eles iniciaram as vendas, de porta em porta de bar.

Landel Cervejaria capa 1

“Fizemos de tudo para divulgar, fomos em todos os eventos que tinham, até para a Brasil Brau nós fomos, mesmo sem produção suficiente”, lembrou Samuel. “Fazemos muito evento para nos aproximar do consumidor final, para mostrar a qualidade do nosso produto”. Com pouco dinheiro para investir o melhor caminho encontrado foi firmar parcerias para conseguir deslanchar a marca.

O modelo se mostrou viável e as pessoas começaram a reconhecer a Landel. Foi então que foram em busca de outras fábricas para produzir. “Em Itatiba, achamos uma fábrica que estava parada, pois o empresário não tinha conhecimento. Entramos com nosso know how para ele, ele nos deu um preço mais competitivo, e estamos produzindo lá até hoje. E aí nos aplicamos sempre esse modelo de parceria de ganha-ganha”, revela Samuel.

É assim eles conseguem viabilizar o negócio que eles desenharam lá no começo, explica Samuel. “Produzir uma cerveja leve, com personalidade e com preço acessível. Tanto é que as pessoas não entendem como a gente é cigano”. De tanques nas fábricas eles possuem 34 mil litros, mas não revelam a quantidade produzida por mês. São três chopes de linha, sendo a Session IPA a mais vendida, e todo mês é fabricado um sazonal.

Landel Cervejaria capa 1

No último mês comemoram 3 anos da Cervejaria Landel com o Growler Day, trazendo o consumidor para dentro da fábrica para encher o growler com preços bacanas. A cada três meses eles também tem o evento chamado Quanto Vale. “Um artista que pinta nossa fachada, o material é bancando pela Landel e o artista ganha um local para expor”, explica Samuel.

Landel Cervejaria capa 1

E durante 2017, vem coisa nova por aí? “ 2017 esperamos uma retomada na economia e teremos muitas novidades por aí. Novas parcerias sendo abertas para que cheguemos mais próximos do nosso objetivo, que é viver de cerveja”, finaliza Samuel.

Fonte: Bar do Celso – 31/03/2017

guia fornecedores