Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

Desde 2014, a indústria de bebidas incentiva a pesquisa e o desenvolvimento do lúpulo no Brasil como iniciativa para democratizar o setor de cervejas especiais no país.

Marcando o pioneirismo do setor cervejeiro no país, a Brasil Kirin, em parceria com o agrônomo Rodrigo Veraldi, realiza nesse mês de abril a colheita de lúpulo brasileiro no sítio Viveiro Frutopia, localizado em São Bento do Sapucaí, região de Campos do Jordão. Com o apoio à produção do insumo e o incentivo ao projeto experimental, a Brasil Kirin tem o intuito de promover a sustentabilidade do negócio, ampliar a democratização das cervejas especiais no país e ampliar a cadeia produtiva, valorizando o plantio do lúpulo nacional por pequeno e médios produtores rurais.

A parceria começou em 2014 com os experimentos e curiosidade do agrônomo Rodrigo Veraldi, que já produzia em seu sítio uva, framboesa, amora, oliva, castanha portuguesa, entre outros alimentos. Após algumas pesquisas, Rodrigo decidiu tentar cultivar lúpulo cervejeiro também.

Naquele mesmo ano, a Brasil Kirin soube do projeto por meio da fábrica da Baden Baden, cervejaria nascida e instalada em Campos do Jordão, e enviou pesquisadores, engenheiros e mestres cervejeiros para visitar a plantação. “Quando conhecemos o Rodrigo e seu experimento, vimos a oportunidade de somar forças em um projeto sem igual. Não pensamos duas vezes em apoiar de todas as formas o cultivo do primeiro lúpulo brasileiro", afirma Rubens Mattos, gerente de P&D da Brasil Kirin.

Ainda em 2014, os primeiros resultados da parceria surgiram e foram apresentados no lançamento da Baden Baden 15 anos, edição comemorativa da cerveja, onde a marca incluiu na receita as primeiras amostras do lúpulo produzido pelo projeto. “Desde esse primeiro teste estamos apoiando o aperfeiçoamento da produção com apoio tecnológico que possuímos por sermos uma das maiores indústrias de bebidas do mundo. E os resultados nos mostraram que estamos no caminho certo apostando em projetos assertivos como esse. Para condução de mais esse processo de inovação tecnológica, contamos com apoio da Kirin Japão, de universidades brasileiras e do CNPq, que apoia com um bolsista dedicado ao projeto”, conclui Rubens.

Dois anos após a primeira fase do projeto, a Brasil Kirin colhe sua primeira safra de lúpulo com grande expectativa. Segundo Veraldi, a plantação passou por todos os testes climáticos e mostrou vigor e adaptação total ao clima brasileiro. “Neste último ano passamos por todos os climas possíveis e mesmo assim nosso cultivo rendeu mais que o esperado. Para quem não conhece, o lúpulo é uma planta que não precisa ser replantada a cada safra, melhorando de qualidade e rendimento ao longo dos plantios. Portanto, podemos considerar essa variedade que vocês vão acompanhar como autêntica brasileira”, afirma Veraldi.

Sabendo da qualidade sensorial do novo lúpulo, a Brasil Kirin já tem planos para a utilização do lúpulo em sua cervejaria Baden Baden. O ingrediente deve entrar na receita de mais um de seus estilos após finalizada da fase de teste para melhor adequação.

Fonte: FSB Comunicações – 14/04/2016

 

guia fornecedores