Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

“O processo pode levar de cinco horas a um mês e requer muita paciência” – essa frase poderia se referir a uma decisão judicial, quiçá sentença. Mas o processo ao qual o juiz Hilmar Castelo Branco Raposo Filho se refere não tem nada de judicial. Trata-se, na verdade, do processo de produção artesanal de cerveja.

A carreira de mestre cervejeiro do juiz de direito do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) começou há seis anos, com uma reportagem de jornal. Descobriu que podia fazer a bebida em casa, pesquisou, se informou e se mexeu, aliás, mexeu muita panela por aí.

Tudo com muito esforço e dedicação: qualidades caras ao ofício da magistratura, como não poderia deixar de ser, mas que são imprescindíveis a qualquer trabalho artesanal.

De lá para cá, Raposo Filho, que é titular da 2ª Vara de Família, órfãos e Sucessões de Ceilândia – cidade satélite de Brasília – participou de festivais, concursos e ganhou prêmios pelo suco de cevada caseiro.

No ano passado, foi premiado pela Associação dos Cervejeiros Artesanais do Distrito Federal (Acerva Candanga), da qual faz parte, por uma cerveja do estilo belgian blonde, uma loira belga, batizada pelo juiz de “Stone”.

“Uma cerveja de estilo tradicional belga, aromática, com baixo amargor e fácil de beber”, explica o cervejeiro-juiz. Ou juiz-cervejeiro, a depender da ocasião.

Provar a iguaria, contudo, é para poucos. A produção do juiz é pequena, em média de 20 litros, e uma produção deste tamanho é para consumo próprio. O máximo que dá para fazer é beber com amigos, com outros produtores artesanais.

“É preciso esfriar a cabeça, e pensar em alguma coisa que não seja processo em algum momento da vida”, conta o magistrado, que é especialista em Direito Processual Civil. Juiz há 16 anos, ele garante que, embora fazer a própria cerveja dê trabalho, elaborar uma sentença exige muito mais – “é muita responsabilidade. ”

Entre os cervejeiros da associação, não há conversa sobre decisões ou transitados em julgado. É que, na verdade, não importa se é médico, engenheiro ou jornalista. “A pergunta que um faz para o outro é: qual cerveja você está fazendo agora? ”, conta.

Este sábado (11/6) Raposo Filho estará ao lado de outros cervejeiros caseiros de Brasília no evento Casa Bier, que ocorre no Iate Clube de Brasília. Às 14h30, eles ensinarão como é que se faz a cerveja de panela e, quem sabe, decretarão a sentença de nascimento de mais um cervejeiro. O evento começa nesta quinta-feira e a programação

O Casa Bier é o maior evento de cervejas artesanais do centro-oeste, um mercado em forte expansão no Sudeste do país e que começa a chegar à região.

Veja abaixo alguns dos rótulos participantes e o vídeo de divulgação do evento.

Cervejas especiais – Crédito José Paulo Lacerda

Assista o vídeo: https://youtu.be/Dqn93BeIKa0

Fonte: Jota.uol, por Mariana Muniz – 09/06/2016

guia fornecedores