Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

A 'manga ubá' é encontrada apenas na cidade e região. Cervejeiro ensina o processo; dupla é personagem do "Tô Indo" deste sábado (24).

cerveja de manga 17

Cerveja de manga ubá (Foto: Reprodução/Tô Indo)

Formado em ciência e tecnologia de alimentos pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ítalo Vieira aprendeu na faculdade o processo de produção de cerveja artesanal. Mas foi na cidade natal, Ubá, que ele e o pai, José Olívio, criaram o produto com a manga típica do município e região. E a cerveja frutada tem feito sucesso.

O interesse pela produção surgiu em 2015 e Ítalo decidiu levar o pai, empolgado com a ideia, para a aula na faculdade. Em 2017, juntos, os dois começaram o negócio. Eles já produziram cerveja com toque de café, defumado e caramelo, mas o que marca a dupla é o produto que tem a “manga ubá” como ingrediente extra.

Ítalo relembra que a ideia da cerveja surgiu a pedidos de pessoas que conheciam a fama da manga que só existe na cidade. “Desde que começamos a produzir em casa, sem o intuito de venda, ficamos muito próximos de um grupo de Belo Horizonte, e quando falávamos que éramos de Ubá, esse pessoal frisava que tínhamos que lançar essa cerveja com a manga. Foi nosso primeiro produto quando abrimos a marca”, contou.

A Produção

cerveja de manga 17

Cerveja de manga ubá (Foto: Reprodução/Tô Indo)

Ítalo explica que a cerveja demora 20 dias para ficar pronta. Para ser identificada como artesanal, ela deve conter apenas quatro ingredientes: água, malte (grão de cevada), lúpulos e fermento. Ao adicionar a fruta, ela passa a ser artesanal “frutada” e, caso haja adição de outros produtos, ela perde a característica.

O cervejeiro ensina o processo e garante que é simples. “Tudo começa ‘cozinhando’ o malte: você moi o grão de cevada e ele começa a passar os sabores para água. Depois ele passa por várias temperaturas, cada uma ativa uma enzima que passa uma característica diferente para o caldo. Em seguida, é feito uma filtração para tirar o bagaço que se forma no líquido. A água que fica é fervida por uma hora e nessa etapa são adicionados os lúpulos – de aroma ou amargor - e, se for a frutada, a manga também. No fim é só resfriar, adicionar a levedura e deixar maturar por cerca de 10 dias antes de embalar”, resumiu ele.

O jovem ressalta que qualquer pessoa pode fazer, desde que tenha o equipamento. “Hoje em dia, há vários cursos na região. Tem muita gente que faz por hobby ou para consumo próprio em casa também, basta ter panelões e peneiras. Se a produção for feita para comercializar pode precisar de alguns tubos e vidros especiais. Mas, no geral é simples”, disse.

Fonte: G Show – 23/03/2018

guia fornecedores