Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

Food Hall Dado Bier terá uma microcervejaria, com produção em tempo real, e cinco restaurantes diferentes. Projeto original foi adaptado pela pandemia

food hall dado bier por eduardo carneiro 2 1

Manoela Bertaso foi responsável pela transformação da microcervejaria Dado Bier, fundada pelo pai em 1995 (Foto: Eduardo Carneiro)

“Foi intraempreendedorismo.” É assim que Manoela Bertaso, 23 anos, define as inovações que trouxe para a microcervejaria Dado Bier, fundada pelo seu pai, Eduardo Bier, em 1995. A empresa, que já teve pubs em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, inaugura, até o fim do mês, um Food Hall em Porto Alegre (RS), dentro do shopping Bourbon Country. O projeto envolveu um investimento de R$ 10 milhões e estava previsto para ser lançado em março, mas precisou ser adiado – e modificado – por conta da pandemia.

“Desde o início, a empresa era composta por dois braços: alimentação e cerveja. Depois fomos tendo as fábricas [a microcervejaria fica em Santa Maria, no interior do estado] e comercialização no varejo e food service, com um restaurante próprio, com pratos executivos, e sempre funcionou. Desde 2017, a cerveja cresceu muito e o restaurante estava parando de trabalhar bem para a marca Dado Bier”, explica Manoela, em entrevista a PEGN.

Ela ainda acreditava que comida e cerveja era uma combinação que fazia sentido, mas conclui que a dinâmica precisaria ser diferente. A cervejaria deveria focar no próprio negócio e trazer outras empresas especializadas para oferecer a gastronomia. “O Food Hall foi uma maneira que encontramos de fazer isso.” Manoela conta que a inspiração veio de viagens que fez para países da Europa e para os Estados Unidos, onde o modelo já é mais consolidado.

food hall dado bier por eduardo carneiro 2 1

Manoela Bertaso e seu pai, Eduardo Bier (Foto: Eduardo Carneiro)

O coração do Food Hall Dado Bier será uma microcervejaria, com capacidade para 250 litros, para resgatar as origens da empresa. Nela os consumidores poderão assistir, em tempo real, a fabricação da bebida. A ideia é dialogar com os restaurantes do local e promover harmonizações com diferentes culinárias. 

“É uma possibilidade de testar com o público, em tempo real, alguns sabores que podem funcionar ou não, para serem lançados no mercado. Também vai permitir apostar em cervejas sazonais ou em colaboração com outras cervejarias daqui de Porto Alegre.”

Além da microcervejaria, o espaço contará com um bar central, com seis torneiras de chope e uma área de autosserviço, que funciona via aplicativo. “O cliente serve a própria cerveja e paga pela quantidade consumida”, explica.

O projeto foi pensado e projetado antes da pandemia, e Manoela conta que um dos aspectos incorporados ao espaço por conta dos novos hábitos de consumo é uma área exclusiva para delivery. “Criamos também uma plataforma própria, um web app, que agrega os restaurantes e a cervejaria no mesmo espaço.”

food hall dado bier por eduardo carneiro 2 1

Com inauguração prevista para o fim do mês, Food Hall Dado Bier já conta com cinco restaurantes (Foto: Eduardo Carneiro)

Além disso, o Food Hall também terá lugares reservados para quem quiser trabalhar, já pensando em um cenário pós-pandemia e na continuidade do trabalho remoto nos escritórios.

Já são quatro restaurantes confirmados dentro do Food Hall Dado Bier: Sabor de Luna, Butcher Burger, Lambari e Meu Açaí Express, além de uma pizzaria que já está em vias de fechar contrato. A empreendedora conta que há a preocupação de não trazer gastronomias concorrentes para o mesmo espaço. Então, haverá apenas uma pizzaria e uma hamburgueria, por exemplo. “Nos vemos como responsáveis pelo faturamento deles e queremos cuidar desses resultados”, afirma.

food hall dado bier por eduardo carneiro 2 1

Food Hall terá espaço para que pessoas possam trabalhar remotamente (Foto: Eduardo Carneiro)

Além dos restaurantes fixos, também há um espaço para restaurantes pop-up e chefs autônomos que queiram usar o Food Hall por períodos pré-determinados. Ela considera o novo cenário propício para a ampliação do espaço ou até para o surgimento de novos food halls, pois os custos de ocupação são compartilhados entre todos. “Além disso, tem a união dos nomes. Uma marca sozinha no shopping demora mais tempo para atrair o público, mas um espaço com um leque de opções tem uma força coletiva.”

Para o ano que vem, a empresa prevê a inauguração de uma nova fábrica em Três Cachoeiras, também no Rio Grande do Sul. O investimento previsto é de R$ 105 milhões.

 

Fonte: Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios – 21/10/2020

guia fornecedores