Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

As sugestões do beer hunter Diego Cartier para escolher a bebida perfeita de olho no que o termômetro está marcando

"Tudo começou com a bíblia sagrada do Michael Jackson", afirma Diego Cartier, consultor de cervejas no Have a Nice Beer e sócio-fundador da Hors Concours Importadora. Ele não se refere ao cantor, mas ao primeiro e mais famoso beer hunter – e que por sinal também escreveu uma bíblia dedicada a uísques. "Eu comecei a pesquisar e a degustar cervejas do mundo inteiro e direcionei as minhas buscas para regiões inexploradas e produtores desconhecidos, pois são os que produzem as verdadeiras pérolas". Para ele, são os pequenos produtores que conseguem fazer as melhores cervejas por várias razões: "Os pequenos produtores têm alma, amor, criatividade e cuidado com o que fazem, criando assim bebidas realmente únicas, acima da média e fora da curva. São verdadeiros artesões, no sentido mais literal da palavra". Sua convicação na qualidade dos pequenos é tamanha que em sua geladeira jamais entram cervejas industriais. E se tivesse de escolher apenas três rótulos para beber pelo resto da vida, seriam: Cantillon Mamouche, Fantôme Saison e Struise Pannepot Grand Reserva. A seguir, uma lista de nacionais e importadas que ele elaborou exclusivamente a pedido de Época SP para quem quiser ampliar os horizontes da bebida neste verão, façam 15 ou 35 graus Celsius:

 

1. Damm Inedit
Wit, 4,8%, Espanha
Feita à base de trigo em parceria com o chef  catalão Ferran Adrià, tem coentro, casca de laranja e alcaçuz. Refrescante, frisante, frutada e floral. É complexa e delicada, elegante e sedutora.

2. Abadessa Helles
Helles, 4,6%, Brasil
De cor dourada, com predominância das notas maltadas. Muito refrescante, com lúpulo bem inserido, notas florais e cítricas.
Não é à toa que é a mais vendida da cervejaria.

3. Struise Motuecha
Blond Ale, 5%, Bélgica
Produzida com o lúpulo motuecha, da Nova Zelândia, traz notas de vinho branco. Leve, com baixo teor alcoólico, mas complexa. Toques frutados (uva branca, laranja) e condimentados.

4. Fantôme Saison
Saison, 8%, Bélgica
​A cada gole, uma surpresa. Complexa e ao mesmo tempo fácil de beber. Dourada, espuma densa com boa formação e duração. Destaque para frutas como pera, maçã, manga e especiarias.

5. Coruja Labareda
Keller Bier, 6,7%, Brasil
Feita em parceria com o músico Wander Wildner, tem adição de pimenta. Picante e amarga, com um toque defumado e leve tostado. Uma das melhores “lagers” do Brasil (e do mundo).

Fonte: Época SP, por Celso Masson - 18/12/2013

guia fornecedores