Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

Os sensores do modelo da Nissan checam odores, suor e o nível de atenção do motorista, emitindo um alerta sonoro a partir do sistema de navegação e travando a ignição se o motorista bêbado insistir em dirigir. Os sensores de odores nos bancos do motorista e do passageiro identificam níveis de álcool enquanto um detector na alavanca do câmbio mede a transpiração da palma da mão do motorista quando ele liga o carro. Outras montadoras que testam sistemas de detecção incluem a sueca Volvo, que desenvolveu uma tecnologia na qual os motoristas precisam soprar uma unidade medidora instalada no cinto de segurança antes de darem partida no motor.

Mas o carro da Nissan inclui uma câmera que monitora o nível de atenção do motorista por meio de escaneamento de seus olhos. O sistema toca um sinal sonoro e emite uma voz em japonês ou inglês que manda o motorista encostar para dar um cochilo antes de prosseguir na viagem.

A tecnologia do carro ainda está em desenvolvimento, mas o diretor-geral Kazuhiro Doi afirma que a combinação de sistemas de detecção vai no final acabar mantendo um olho em quem está atrás do volante.

"Colocamos detectores de odor e um sensor de suor no câmbio, mas, por exemplo, se o sistema for contornado por um passageiro que aciona a alavanca em vez do motorista, temos o reconhecimento facial", disse Doi. Também para manter os motoristas na linha, os cintos de segurança do carro se apertam se folgas foram detectadas. Enquanto isso, outro sistema monitora se o carro está mantendo-se dentro da faixa de rodagem da rua.

A terceira maior montadora do Japão não tem um prazo específico para o lançamento do modelo, mas pretende usar toda a tecnologia para reduzir o número de vítimas em acidentes que envolvem seus veículos pela metade até 2015, em relação aos níveis de 1995.

Doi afirma que a Nissan ainda tem que definir exatamente o nível de incapacidade do motorista para que o sistema atue de maneira eficaz. "Se você bebe uma cerveja, o carro vai registrar então nós precisamos estudar qual o nível apropriado para que o sistema seja ativado."

Fonte: Portal Pe 360 Graus - Agosto/2007

guia fornecedores