Harmonizações com cerveja

CombinacoesComCerveja

Significado de Harmonizar: "Pôr-se em harmonia, de acordo, em paz."

*O conteúdo é de responsabilidade exclusiva das fontes citadas.

**Caso haja necessidade podem haver adaptações no texto.

***Se você deseja compartilhar alguma matéria nas redes sociais

e os ícones não apareceram, clique no ícone da impressora.

Brownie e cerveja? Andreia Marlière conta como se consolidou com a Nibis no mercado local

No mercado brasiliense desde 2015, quando decidiu investir em uma empresa voltada para um produto diferenciado, Andreia Marliere, publicitária e fotógrafa especializada em gastronomia, bateu um papo com o Finíssimo para contar um pouco da trajetória de sucesso de seus brownies de cerveja, que conquistaram o paladar não só dos cervejeiros, como do público geral da Capital.

A inspiração pelo doce veio por outro case de sucesso, o famoso Brownie do Luiz. “Inicialmente a ideia era produzir tortas saudáveis, mas durante o processo de pesquisa me deparei com o Brownie do Luiz que iniciou a febre dos brownies no Brasil e hoje são centenas de negócios inspirados no modelo de negócio dele. Então, decidi que ao invés de tortas iria produzir os brownies com a pegada saudável”, conta.

Apesar da mudança de rumo, o conceito foi trabalhado com cuidado para uma estreia de sucesso. “Logo no primeiro mês tivemos uma encomenda da Cervejaria Corina para um rotulo personalizado e vendemos tudo no BierFest 2015. Mesmo o produto ainda em maturação, foi um sucesso no meio cervejeiro”, lembra.

A receita com cerveja veio depois de uma longa pesquisa onde Andreia viu um video da cervejaria Baden Baden com a receita de um brownie de cerveja com bacon. “Achei super interessante, pois eu estava completamente envolvida com o mercado cervejeiro de Brasilia naquele momento. Decidi então criar minha própria receita a partir dessa ideia e contei com vários produtores de cerveja de Brasilia como consultores e cobaias”, brinca.

Os ingredientes usados reforçam a pegada saudável e artesanal dos brownies, com o uso de produtos 0% gordura trans, chocolate meio amargo, açúcar mascavo e demerara, além de itens da produção de cervejas especiais como o malte e o lúpulo. Os amigos empresários também ajudam e dão pitacos na hora do preparo e harmonização das receitas com as bebidas: “Alguns sabores surgem de parcerias como o Beer Brownie Cereja que é feito com a cerveja Belga Liefmans. Ela foi uma idéia do Murilo, gerente do Santuário, para um rótulo especial de natal. Fez tanto sucesso que hoje é um dos mais vendidos”.

Como acompanha de perto a saída das criações e fica de olho feedback dos clientes, Marlière já dá a dica para cada público: Cereja e Avelã são mais leves, Lúpulo para os cervejeiros profissionais, Bacon para quem gosta de novas experiências. Além deles, ela ainda produz Malte Torrado, Petroleum, Pale Ale Caramel (edição Corina), além de uma linha premium que conta com Amargo com laranja, Gianduia, Capuccino, Trio de Castanhas e Blondie com damasco.

Com o crescimento da demanda, a produção também teve que ser mudada, literalmente. ” Quando o negócio começou a crescer, decidi alugar a casa do Núcleo Bandeirante e hoje a produção é feita em uma área superior da casa. Tenho dois assistentes de cozinha e a partir de agora uma pessoa que vai cuidar da expansão dos pontos de venda e distribuição. Tenho pontos de venda fixos e vendemos também pela loja virtual.

Apesar do trabalho duro, período de testes de mercado e produtos, ela se mostra otimista e afirma está preparada para crescer ainda mais. “Apesar de termos um volume de produção ainda pequeno, pensamos grande desde o começo. No final o que dá orgulho é ver o que você sonhou tomar forma e vida próprias”, conclui.

Fonte: Finissimo, texto: Max Cajé, fotos: Andreia Marlière – 23/03/2017

Harmonização - Cerveja Duvel

Duvel é, sem exagero, a definição e a mais alta referência do que é ser uma Strong Golden Ale. Clara e refrescante como uma Pilsen, sem perder o sabor e a complexidade de uma Ale. Seu conjunto aromático traz lembranças sutis de laranja, maçã verde e conhaque de pera. Fermentada três vezes, sendo as duas primeiras na cervejaria e a terceira na própria garrafa. Tal fermentação, conhecida entre os cervejeiros como refermentação, também é uma das responsáveis, juntamente com as proteínas formadas durante a malteação, pelo colarinho diferenciado e duradouro que persiste até o último gole. Deve ser consumida a 10°C. A história conta que o nome Duvel (diabo em flamengo) surgiu quando a cerveja foi fermentada pela primeira vez e alguém se referiu a ela como "o verdadeiro diabo".

Harmonização
Harmoniza com perfeição com frutos do mar e mariscos em geral ou com queijos de massa semi-dura/curados.

Os mestres cervejeiros da Duvel recomendam consumir o líquido do fundo da garrafa em um copinho a parte. Apesar de turvo é uma parte rica da bebida. Trata-se das leveduras que após provocarem a terceira refermentação deixam de agir e vão para o fundo da garrafa numa espécie de “adormecimento". Acontece que esse tempo da cerva sobre as borras da mais complexidade aromática a ela. E as borras quando bebidas a parte nos mostram mais claramente os aromas que emprestaram a cerva enquanto ficaram ali fingindo que dormiam. É sem dúvida uma enriquecedora experiência.

Curiosidade
Uma curiosidade é o copo usado para o estilo Strong Golden Ale, no qual está classificado a Duvel. Estas cervejas devem ser servidas em copos de formato “Tulipa”, mas atenção: Este copo tulipa em nada se parece com aquelas taças de chope que convencionamos chamar de “Tulipa de Chope”.

Fonte: Super Prix -  Março/2017

Chef curitibano lança projeto que alia gastronomia e cervejas artesanais

IMG 3840Ceviche Gose

Sempre atendo as tendências mundiais, o chef e Sommelier de cervejas Guilherme De Rosso, proprietário do Boteco Simples Assim e supervisor do curso de Beer Sommelier do Centro Europeu, acaba de lançar um novo projeto o “Eat Beer”, na cidade de Curitiba. A ideia surgiu depois algumas viagens pela Europa e Estados Unidos, onde o uso de cervejas em pratos típicos é muito comum.

“O uso da cerveja no preparo de receitas é muito comum na Bélgica, como a bebida sempre existiu em excesso, eles tinham que utilizá-la em algo. Quando fui para os Estados Unidos, vi que eles também estão começando a usar bastante as cervejas artesanais em receitas”, explica o profissional. De volta ao Brasil, o chef quis aderir à ideia e adaptar a utilização das cervejas artesanais aos seus pratos.

Ultimate Burguer

Como se trata de um projeto pioneiro no Brasil, De Rosso começou a fazer essas experiências nos seus próprios pratos. As cervejas artesanais têm sabores e aromas especiais, tendo muito a oferecer se usada da maneira adequada nas receitas. “Cada estilo de cerveja requer um tipo de preparação. As bem lupuladas, por exemplo, só devem ser usadas em preparações frias, por quando colocadas no fogo vão perder o aroma, deixando somente o amargor no preparo”, comenta o chef.

A diferença entre a cerveja e outros estilos de bebida, como o vinho, está no leque de estilos, já que ela oferece uma variedade maior de sabores aos pratos. “Vale lembrar, que quando acrescentamos bebidas às preparações, elas dão um toque especial, não devemos esperar sentir só a cerveja, se isso acontecer, algo está errado no modo de preparo, o objetivo da cerveja é realçar o prato e não ao contrário”, comenta.

O “Eat Beer” tem como objetivo sair da tradicional “cerveja preta em carne de panela”, provando que as cervejas podem ser usadas nos mais diversos preparos, até mesmo em sobremesas. O chef está elaborando uma seção especial no cardápio com os pratos que levam cerveja artesanal. Os pratos especiais serão alterados semanalmente. No mês de março, as opções são: Ultimate Beer Burguer – Hambúrguer de costela grelhada acompanhado por cebola caramelizada na cerveja La Trappe Quadrupel, Maionese de Perigosa Bodebrown, Bacon crocante, Picles e Muçarela; Salmon Wit – Sanduíche feito com pão australiano servido com salmão curado na cerveja Witbier da Way Beer, cream cheese, tomate cereja, cebola roxa e rúcula; Ceviche GOSE – filé de tilápia marinado no leite de tigre especial com cerveja Gose, batata doce roxa e banana da terra; e Porção de Amendoim Doce na Atomga Bodebrown – amendoim açucarado com toque de Atomga Bodebrown. Os clientes ainda poderão escolher as melhores combinações através de votação no Facebook do estabelecimento sempre no final de cada mês, para que a partir daí o cardápio definitivo seja montado.

O Simples Assim fica na Rua Ângelo Sampaio nº 1671, no bairro Batel. A casa funciona de terça a quinta, das 18h às 0h30; e nas sextas e sábados, das 18h às 1h30. De quinta a sábado o espaço ganha ainda mais movimento com música ao vivo. Mais informações no site www.simplesassimboteco.com.br.

Fonte: Me Gusta Curitiba -  07/03/2017

Cerveja com doce? Descubra harmonizações para suas sobremesas preferidas

 

Conhecer melhor o mundo das cervejas artesanais é abrir a porta para uma gama de aromas e sabores surpreendentes! Já sabemos que a cerveja combina com diversos pratos salgados, mas e cerveja com doces?  Aqui você vai descobrir as melhores  harmonizações para suas sobremesas preferidas! 

A cervejas e as sobremesas possuem diversos componentes em comum que contribuem para que essa combinação seja uma explosão de sabores. A torra do malte, por exemplo, gera sabores que se assemelham com caramelo, toffe, chocolate e café. O teor alcoólico e amargor também ajudam a contrastar o dulçor intenso e limpam o palato entre uma garfada e outra. Também é importante levar em consideração a intensidade do prato e escolher uma cerveja igualmente potente para que nenhum elemento se sobreponha a outro.

Harmonização de cervejas e sobremesas

As possibilidades são abundantes e é possível brincar com esses elementos de diferentes formas para criar uma boa combinação. Para te ajudar a finalizar a refeição com chave de ouro, separamos algumas sugestões de  harmonização de cervejas e sobremesas.

  • Brownie e Imperial Stout – Pode anotar: Imperial Stout e chocolate fazem uma parceria perfeita. A torra intensa do malte traz características de chocolate amargo e café para a cerveja. O amargor e o teor alcoólico atravessam a doçura do brownie e transformam a mistura em um só alimento. Pode adicionar o sorvete de creme que a harmonização só vai melhorar!

Sugestões: Bierland Imperial Stout; Founders KBS


  • Pudim de Leite e Barley Wine – A Barley Wine é uma excelente escolha para acompanhar o nosso queridinho pudim de leite. A complexidade de aromas e sabores da cerveja vão complementar a sobremesa e levá-la para um novo patamar. Devido à alta potência alcoólica, as Barley Wines ajudam a equilibrar a doçura do pudim, já as características de toffee do malte acompanham a intensidade da calda de caramelo.

Sugestões: Fuller”s Golden Pride; Bierland Prosa American Barley Wine


  • Cheesecake e Fruit Lambic – Esse é um exemplo de combinação mágica! As Fruit Lambics são ácidas e se assemelham com o azedinho das frutas e do creme de queijo. Além disso, a acidez também consegue balancear a doçura, cortar a untuosidade da cheesecake e criar um sabor único na boca. Escolha uma cerveja que seja feita com a mesma fruta da calda da sobremesa e a harmonização vai ficar incrível!

Sugestões: Boon Kriek; Lindemans Framboise


  • Sorvete de Creme e Imperial Porter – As cervejas maturadas em barris de madeira tendem a desenvolver notas de baunilha que se assemelham com o sabor do sorvete de creme. A doçura da sobremesa é contrastada com o potencial alcoólico e amargor da torra do malte. Desta forma, cria-se um equilíbrio perfeito para o paladar. Uma dica: despeje a cerveja na taça do sorvete, como se fosse uma calda, e você irá para o céu!

Sugestões: Monjolo Imperial Porter; Modern Dogma Imperial Mocha Porter


  • Pavê de Chocolate e Dubbel – O pavê é uma sobremesa clássica nas casas brasileiras e é sempre delicioso. Para harmonizar com cerveja, o estilo belga Dubbel cai como uma luva quando combinado com sobremesas que levam chocolate ao leite. A doçura da cerveja combina com a doçura do pavê e o alto teor alcoólico ajuda a limpar o palato para as próximas colheradas.

Sugestões: Chimay Rouge; La Trappe Dubbel 330ml


Torta de Limão e Sour Beer – Para finalizar nossas sugestões quebrando paradigmas, podemos afirmar com certeza absoluta que a nossa amada torta de limão também vai bem com cerveja! Ao contrário do que se pensa, juntar dois elementos ácidos não aumenta a sensação de acidez, e sim, cria um sabor balanceado. Além disso, a doçura do merengue vai ser equilibrada com a acidez da cerveja e a boa carbonatação é responsável por limpar a boca para a próxima garfada.

Sugestões: Tirana Sour; Dry Hopped Berline Weisse

Uma última dica essencial para a sua harmonização é servir a cerveja na temperatura ideal para o estilo. A temperatura afeta a percepção dos sabores e aromas, por isso, cerveja congelando nunca é uma boa ideia durante harmonizações com doces. Bom apetite!

Fonte: Blog Clube do Malte – 24/02/2017

 

Jantar harmoniza menu de Lênin Palhano com cervejas da Bodebrown e pães especiais

Um jantar especial no restaurante Nômade, no hotel Nomaa, reúne no dia 15/2 (quarta-feira) cardápio criado pelo chef Lênin Palhano e harmonização com cervejas da Bodebrown. Para completar, o menu traz pães assinados por Rene Seifert Junior. O custo é de R$ 189 por pessoa (mais taxa de serviço), com a necessidade de pagamento antecipado para confirmação da reserva. Este preço inclui o menu completo, com quatro aperitivos, dois pratos e sobremesa, mais quatro cervejas da Bodebrown. São três horários disponíveis: 19h30, 20h30 e 21h30.

"A ideia surgiu de nossa parceria com o Rene, que cria pães artesanais incríveis", conta o chef Lênin Palhano. "A partir daí, pensamos num evento que destacasse o lado da produção artesanal, com ingredientes orgânicos, ênfase nos produtos locais e participação de produtores de nossa região". A Bodebrown, que conta com rótulos no cardápio regular do Nomaa, selecionou rótulos que reforçam a versatilidade das cervejas na harmonização, com potencial para disputar espaço com os vinhos nas mesas da alta gastronomia. "As possibilidades sensoriais são muito grandes, descortinando um novo mundo", comenta Samuel Cavalcanti, fundador da Bodebrown, cuja fábrica fica na Vila Hauer, em Curitiba.

Rene Seifert Junior, por sua vez, também tem uma parceria com a Bodebrown e com Palhano. No caso da cervejaria, ele produz pães que são servidos em eventos como o Beertrain, passeio que desce a Serra do Mar rumo a Morretes, com degustação de cervejas a bordo, e nos Growler Days, programação que acontece sextas e sábados na fábrica. Com o chef Palhano, já realizou outros eventos e parcerias.

Confira as cervejas e o cardápio:

Hop Weiss - Aperitivos: Tartar de atum com crocante de algas, Carne de onça com pão de centeio crocante, Pão de malte com batata, bottarga curada na cera de abelha e limão rosa, Mini-hambúrguer de porco Moura com brioche

Perigosa baby - Bacalhau com milho, ovo perfeito, lardo e pão de fubá

Saint Arnould - Costela de boi com abóbora, cogumelos e pão de campanha

Tripel - Mousse de jaca com farofa de laranja

 

Jantar harmonizado Bodebrown e restaurante Nômade

Data: quarta-feira, 15 de fevereiro

Horários: 19h30 – 20h30 - 21h30

Valor: R$ 189 por pessoa - pagamento antecipado para confirmação de reserva

Endereço: Hotel Nomaa - R. Gutemberg, 168, Batel, Curitiba - PR

Informações: (41) 3087-9595

Crédito da foto: Rafael Schorr


Fonte: FC Comunicação – 07/02/2017

Harmonização de cerveja?!

Que vinho e comida harmonizam, todo mundo sabe. Mas a cerveja também? Descubra!

A cerveja tem amplas possibilidades de harmonização por sua diversidade como força alcoólica, doçura e secura, acidez, amargor, condimentação, carbonatação, notas tostadas, carameladas, frutadas, etc...

O princípio mais básico de qualquer harmonização é o equilíbrio. Pratos leves pedem cervejas leves. Pratos mais intensos pedem cervejas mais intensas.

Harmonização por semelhança

A harmonização parte de dois princípios de semelhança, como doçura versus doçura e acidez versus acidez.

Um queijo gouda, por exemplo, com suas notas frutadas, leve adocicado, certa picância e bastante gordura, acompanhado de uma Strong Golden Ale belga. A cerveja se assemelha com as mesmas notas frutadas e este certo dulçor, além de ter álcool suficiente para quebrar a gordura do queijo, limpar o palato para o próximo bocado.

Outra harmonização clássica é de chocolate com Imperial Stout. O estilo de cerveja é geralmente bem escuro, com notas de café, chocolate e, em alguns casos, apresenta leve dulçor maltado no centro, mas a grande maioria tem amargor proveniente do malte torrado. Essas notas fazem um casamento perfeito com praticamente todos os tipos de chocolate!

Harmonização por contraste

A harmonização é mais difícil, mas, quando bem feita, é incrível! Os princípios partem das seguintes oposições: salgado versus doce, doçura versus amargor, "picância" versus doçura.

Um bom exemplo são ostras, com sua acidez e sabores marinhos, com uma Dry Stout bem seca e torrada.

Uma combinação que eu particularmente adoro é uma Fruit Lambic, cerveja de fermentação espontânea, bem ácida e com adição de frutas como cereja (Kriek), acompanhada de chocolate branco. A grande acidez da cerveja brinca com o doce do chocolate e quebra a gordura (que todo chocolate branco tem de sobra!).

Vamos por tipos...

  • Amargas (IPA, Dortmunder, Stout, Pumpkin)

- Comida mexicana, bolinhos de peixe, chorizo, pratos picantes, embutidos...

  • Frutadas (Lambic, Witbier, Fruit Beer)

- Salada, tartare, caranguejo, cheescake, sorvete...

  • Defumadas/Tostadas (Rauchbier, Brown Schwarzbier, Red, Amber)

- Castanhas, bacon, nachos, costela com barbecue, churrasco...

  • Alcoólicas (Belgian Strong Trapista, Golden Strong, Bock, Malt Licor)

- Aspargo, bouillabaisse (sopa de peixes brancos), chorizo, mousse de chocolate, queijo cremoso...

  • Doces (Malzbier, Porter, Lambic)

- Cheescake, carne de búfalo, tiramissu, foie gras, crème brûlée...

  • Especiais (Saison, Gueuze, Sazonais e com adição de outros componentes)

- Escargot, mexilhões, empanadas, ceviche, falafel...

  • Refrescantes (Trigo, Pilsen, APA, Lambic)

- Cuscuz marroquino, enchilada, kebab, omelete, lula frita...

  • Encorpadas (Golden Strong, Dark Strong Ale, Blond)

- Presunto assado, polvo, risoto, lagostins, pesto...

Para cada prato e ocasião existe uma cerveja. Aprecie esse mundo de possibilidades! Já tentou essa harmonização? Escolha sua preferida e experimente.

Fonte:  Sonoma.com.br – 07/01/2017

Cervejas artesanais são uma boa pedida para o Verão

Além de refrescante, a bebida harmoniza com pratos típicos da estação

Uma das bebidas mais apreciadas pelos os brasileiros, a cerveja ganha cada dia mais adeptos e opções de consumo. A bebida harmoniza muito bem com diversos pratos, desde os petiscos, saladas ou ainda os mais elaborados. Somente em Santa Catarina, um dos destinos mais procurados do Brasil durante o período de férias, são mais de 40 cervejarias e 250 rótulos diferentes.

No Vale Europeu, entidades transformaram a bebida em um destino turístico: o Vale da Cerveja. São 10 cervejarias e diversas opções de passeios para aproveitar com toda a família, uma boa pedida para quem quer fugir um pouco do litoral catarinense no fim de ano. E como o Verão pede pratos leves e bebidas refrescantes, o que não falta são boas opções gastronômicas, combinadas com a cerveja artesanal. Confira algumas dicas:

Bierland Witbier: é um estilo de cerveja belga de trigo, levemente turva. Com corpo leve, notas cítricas de casa de laranja e condimentada com coentro.  Harmoniza com salada tropical (com folhas verdes e frutas) ou com frutos do mar.

Blumenau Frida: de estilo belga, tem no aroma uma profusão de frutas e condimentos. Como o sabor é suave e delicado, harmoniza com Peru à Califórnia.

Berghrain Bitter: cerveja frutada, pouco efervescente e com amargor moderado. Combina com bacalhau, carnes de boi assadas e carpaccio.

Blauer Berg Pils: no estilo Bohemian Pilsener, tem aroma e sabor de malte e floral, combinado com amargor médio. A dica é harmonizar com anchovas assadas, camarão, lula e ostras.

Container Black Sheep: cerveja escura e de estilo inglês, apresenta no aroma o sabor notas de chocolate, cereais tostados e café. Ideal para saborear com os doces, como panetone, chocotone, sorvetes e tiramisu.

Das Bier Saison: com sabor frutado intenso, condimentada e refrescante. Harmoniza com chorizo, embutidos, mexilhões, salmão, queijos gouda e de cabra.

Eisenbahn Rauchbier: mistura de fumaça e malte, este estilo possui sabores e aromas defumados que lembram o bacon. Combina com pratos a base de bacon ou carne de porco assada.

Handwerk IPA: com caráter cítrico e frutado, possui robusta presença de lúpulo, tanto no aroma quanto no sabor. Harmoniza com chorizo ou pato com tempero picante.

Schornstein Bock: notas carameladas, de madeira e tostado estão presentes no sabor. Vitela, nozes, lentilha e frutos secos combinam com a bebida.

Zehn Bier English Pale Ale: de cor âmbar, com aroma e sabores do lúpulo, levemente caramelizada, ela harmoniza com embutidos ou frango assado.


Fonte: Homem Cerveja – 15/12/2016

Vai pra praia? Veja como harmonizar cerveja com delícias do verão

Sommelière ensina a mesclar diferentes tipos da bebida com pratos típicos do litoral.

Praia pede harmonização descontraída.

Poucas coisas no mundo combinam tanto quanto praia, cerveja e um petisco. Dá para relaxar só em pensar...A Pilsen, claro, é a preferida no litoral do país, afinal é refrescante, leve e combina com o clima praieiro. Mas há outras opções que você pode levar para a areia.

Convidamos a sommelière de cervejas Monali Bassoli para dar dicas de harmonização na praia. Veja:

Camarão frito – Petisco encontrado em muitas partes do Brasil, pode ser combinado com uma Saison. “Tem alta carbonatação para quebrar um pouco a fritura. É um pouco ácida também e a presença do lúpulo é marcante, mas não se sobressai”. As especiarias presentes no aroma e sabor podem dar um toque complementar ao camarão.

Queijo coalho – A American Wheat, com mais lúpulo e sabor cítrico, pode combinar.

Tiras de peixe – A clássica Pilsen é a sugestão da sommelière, por ter um leve amargor que corta a fritura.

Anéis de lula à milanesa – É outro petisco clássico que combina com Pilsen. Além dela, uma Witbier, que complementa o sabor do prato com a citricidade do limão.

Casquinha de siri – Petisco de sabor mais delicado, pede uma cerveja na mesma linha, como uma American Golden Ale. “Leve, com malte e lúpulo equilibrados, cremosa, tem leve dulçor e baixo amargor”, diz.

Milho verde cozido com manteiga – Uma clássica Weiss alemã é a dica da sommelière. “É mais opaca, um pouco mais encorpada, com sabores de banana e cravo. Dá pra pensar até num café da manhã”, comenta.

Pastel de carne – Um clássico, pode ser harmonizado com uma Red Ale, que combina com o recheio devido aos toques de tosta e de caramelo.

Acarajé – Prato intenso, o acarajé pede uma cerveja forte, como uma Pale Ale ou Amber Ale. Já quem gosta de pimenta pode realçá-la com uma IPA.

Ostras – Um pouco mais requintado, esse petisco pede algo clássico. “Uma harmonização com a Stout, que é uma harmonização cultural inglesa”, lembra. Mas também pode ser usada uma Witbier, que substitui o limão usado nas ostras.

Marisco ao vinagrete – O prato é comum, mas a harmonização pode ser para quem já tem o paladar mais apurado para as cervejas, como uma Red Ale de Flanders. “É bem pro vinho, harmoniza bem com o vinagre, que é o tempero principal. É bem complexa, ácida, e acompanha as semelhanças”, explica.

Moqueca de peixe – Outro prato forte que pede uma cerveja à altura, como uma Strong Ale, que tem bastante presença de malte e lúpulo pra finalizar.

Tapioca de coco com leite condensado – Um dos recheios mais clássicos da tapioca pode ir bem com uma Stout. “A cerveja possui aromas e sabores de chocolate e café, e por ser levemente amarga, ameniza o dulçor”, explica.

Sorvete de creme com raspas de chocolate –  Nesse caso, uma Fruit Beer de frutas vermelhas pode ser uma boa, pois entra como uma calda.

Fonte: G1 – 15/12/2016