Harmonizações com cerveja

CombinacoesComCerveja

Significado de Harmonizar: "Pôr-se em harmonia, de acordo, em paz."

*O conteúdo é de responsabilidade exclusiva das fontes citadas.

**Caso haja necessidade podem haver adaptações no texto.

***Se você deseja compartilhar alguma matéria nas redes sociais

e os ícones não apareceram, clique no ícone da impressora.

Chef e sommelier dão dicas de harmonização de cervejas com entradas e pratos principais

Mauricio Assis e Waldemar Sto, de Campinas (SP), indicam, com dicas e receitas, como pode ser feito esse "casamento" entre bebida e comida.

whatsapp image 2017 08 28 at 10.38.02

O chef Mauricio Assis e o sommelier de cervejas Waldemar Sto (Foto: Paula Ribeiro)

Harmonizar cervejas com entradas e pratos principais está longe de ser um bicho de sete cabeças, garantem especialistas. O chef de cozinha Mauricio Assis e o sommelier de cervejas Waldemar Sto, de Campinas (SP), indicam, com dicas e receitas, como pode ser feito esse "casamento". A dupla incentiva novos apreciadores da bebida a arriscarem esta viagem para deleite de suas papilas gustativas.

“Regra geral: cervejas leves acompanham comidas leves e cervejas mais fortes, intensas e encorpadas harmonizam melhor com comidas mais pesadas. Com isso na cabeça já fica difícil de errar”, ressalta Sto.

whatsapp image 2017 08 28 at 10.37.54

Salada de manga com gengibre e toque de limão e coentro ganhou a companhia de uma Sour Ale (Foto: Paula Ribeiro)

Na seleção da dupla, a salada de manga com gengibre e toque de limão e coentro é servida com uma cerveja do estilo Sour Ale.

“Fiz essa salada com os sabores cítricos para que ele pudesse trazer uma cerveja azeda, ainda pouco conhecida pela maior parte dos apreciadores de cerveja, mas que é leve e casa com essa salada que preparei”, explica Assis, que por muitos anos foi proprietário de um bar com cervejas especiais, onde também dirigia a cozinha.

whatsapp image 2017 08 28 at 10.37.56 1

IPA é a indicação do sommelier de cervejas para acompanhar o medalhão de linguiça artesanal (Foto: Paula Ribeiro)

Com uma outra receita de entrada, o medalhão de linguiça artesanal (preparada pelo chef) com mostarda de conhaque e conserva de beterraba, Sto selecionou uma IPA. E o sommelier deu mais uma dica.

“Quanto mais escura a cerveja, mais escura deve ser a comida da harmonização (com poucas exceções). Então para a linguiça, que é meio termo, temos a IPA, que também é levemente escura”, esclarece.

whatsapp image 2017 08 28 at 10.38.00

Farfale na manteiga com mix de especiarias indianas e cogumelos vai bem com a trippel (à esq.) ou a Barley Wine (Foto: Paula Ribeiro)

Pratos principais

Duas cervejas foram escolhidas para harmonizar com o farfale na manteiga com mix de especiarias indianas e cogumelos. Sto quis harmonizar por semelhança e contraste para brincar com as papilas gustativas.

“Enquanto a aroma doce desta trippel fermentada com garapa harmoniza perfeitamente com as especiarias indianas do prato, a Barley Wine corta a gordura da manteiga e nos revela o sabor dos cogumelos. Cada cerveja revela alguns sabores específicos dos pratos de acordo com as nuances do maltes e lúpulos que trazem amargos e frescor para as bebidas”, cadencia Sto.

“O risoto de lombo defumado e laranja murcote fiz para desafiar o sommelier e os paladares mesmo. O lombo eu mesmo defumo com goiabeira então o sabor é bem acentuado. Queria ver quais as cervejas dialogam com o dulçor e acidez da murcote e quais brincam com o defumado”, releva Assis.

whatsapp image 2017 08 28 at 10.38.05

Belgian Strong Dark Ale e quadruppel são sugestões de harmonização para o risoto de lombo defumado (Foto: Paula Ribeiro)

Sto encarou o desafio e uma Belgian Strong Dark Ale e uma quadruppel, ambas fabricadas no Brasil, foram trazidas à mesa para a harmonização.

“O lombo defumado com as notas frutadas e torradas casaram perfeitamente com a quadruppel que é uma cerveja bem alcoólica, mas esta leva garapa na fermentação então tem um certo dulçor que traz o murcote para o paladar. Já a Belgian Strong Dark Ale ajuda a cortar a manteiga e a gordura do lombo, mas releva os sabores defumados, harmonizando por contraste”, explica Sto.

O sommelier revelou um segredo muito fácil de lembrar: cervejas e comidas originárias da mesma região sempre funcionam bem, via de regra. E outra dica, para quem tem facilidade de harmonizar vinhos.

“Pense nas ales como vinho tinto e nas lagers como vinhos brancos. Cervejas com alto amargor como se fossem vinhos com bastante taninos, e cervejas ácidas como as Sours como se fossem vinhos brancos e espumantes mais ácidos”.

Fonte: G1 – 29/08/2017

4 harmonizações surpreendentes com cerveja – combina até com doce

A bebida alcoólica mais amada do Brasil vai bem com tudo - inclusive com pudim de leite

São Paulo – Se você acha que cerveja só combina com churrasco ou petisco, está completamente enganado. A bebida alcoólica mais amada no Brasil é também democrática, uma vez que pode ser consumida com qualquer tipo de alimento – seja ele doce ou salgado.

De acordo com Laura Aguiar, beer sommelière e mestre-cervejeira da Ambev, não existe nenhum tipo de alimento que não consiga ser harmonizado com cerveja. “O que existe é a escolha da cerveja certa para cada combinação, uma vez que há uma infinidade de cervejas feitas com os mais diversos ingredientes”, afirma a especialista.

A pedido de EXAME.com, a mestre-cervejeira listou algumas das harmonizações menos comuns que podem ser feitas com cerveja. Sim – é possível comer até pudim acompanhado de um copo de cerveja. Confira as combinações seguir:

Cerveja com doce

Sobremesas e doces geralmente pedem cervejas com características de sabor e teor alcoólico mais fortes. Doces que levam chocolate, como brownie e mousse, caem bem com cervejas escuras, do estilo Porter. Já sobremesas com caramelo, como pudim, são ideias para cervejas do estilo belga Dubbel.

Cerveja com arroz e feijão

Pratos triviais do dia a dia pedem cervejas leves e com alto grau de drinkability (parâmetro para medir o quanto uma bebida é agradável e fácil de se beber). Com arroz e feijão, por exemplo, uma boa pedida são as cervejas do estilo Witbier, ou seja, leves, frescas e com notas cítricas. As dos estilos Pilsen e American Lager também são refrescantes e ajudam a equilibrar os sabores marcantes do feijão.

Cerveja com queijos

Queijo e vinho combinam. Queijo e cerveja também. Segundo a mestre-cervejeira, nesse caso é necessário levar em conta a textura, teor de gordura e a complexidade de aromas e sabores dos queijos, ou seja, existe a cerveja ideal para cada tipo de queijo.

Como ponto de partida, vale a regrinha básica: queijos leves pedem cervejas leves e refrescantes; queijos fortes se dão bem com cervejas mais amargas”, explica Laura.

Queijos frescos, como minas frescal, ricota e mussarela de búfala, pedem cervejas que entreguem leveza, as dos tipos Pilsen e American Lager podem ser boas companhias.

Já o brie, por exemplo, combina com uma cerveja de trigo. Um queijo mais forte, como o gorgonzola, pode ser consumido com cervejas com maior teor de amargor, as do estilo IPA são as mais indicadas.

Cerveja com massa

Nesse tipo de harmonização, precisa ser levado em conta o teor de gordura e complexidade de aromas e sabores do molho que acompanhará a massa.

“Uma massa ao molho de ragu de costela vai bem com cervejas que levam malte torrado”, afirma Laura.

Vale também considerar o eventual recheio da massa e, caso seja de queijo, as dicas de harmonização anteriores referentes aos queijos devem ser levadas em consideração.

Fonte: Exame.com – 05/09/2017

Como harmonizar azeites e cervejas? Aprenda agora!

image proxy

Harmonizar azeites com alimentos tornou-se uma prática comum entre os amantes da gastronomia. E, para escolher o prato certo, é importante levar em consideração a similaridade, de modo que o azeite não “roube” o sabor da comida, mas essa prática também vale para as bebidas, por exemplo.

Os azeites oferecem várias possibilidades de combinações, incluindo harmonizações por contraste ou concordância — dependendo do estilo de cada bebida. Combiná-los com cervejas pode ser uma ótima opção. 

Harmonizar azeites e cervejas não é tão simples, mas existem alguns truques que podem fazer toda a diferença e tornar toda a sua experiência gourmet ainda mais agradável.

Quer aprender como harmonizar azeites e cervejas de uma forma equilibrada e deliciosa? Então confira as dicas que selecionamos especialmente para você em nosso post de hoje!

Azeite de oliva extra virgem e cerveja adocicada

Combinar um azeite de oliva extra virgem com cerveja adocicada, sem dúvidas, é uma ótima opção — levando em consideração que esse azeite é mais leve e, também, oferece notas doces e amendoadas. Essas notas tornam-se mais agradáveis na presença de cervejas frutadas, por exemplo.

Por outro lado, vale lembrar que essa harmonização é feita por concordância, considerando que os sabores fazem todo o sentido quando estão juntos no paladar.

Neste caso, a nossa dica é combinar a cerveja Hoegaarden Forbidden Fruit com saladas ou alimentos frios que contenham azeite de oliva extra virgem Arbequina. 

Azeite de oliva extra virgem e cerveja de trigo

Por ser uma opção bem leve, o azeite de oliva extra virgem é a companhia perfeita para cervejas que são mais ácidas e possuem boa carbonatação — como as de trigo.

Note, no entanto, que o segredo dessa harmonização é justamente a combinação de sabores por discordância, ou seja, esses gostos são bem diferentes, e se contrastam durante a degustação.

Se você deseja experimentar essa combinação, recomenda-se optar pela cerveja de trigo Weissbier e o azeite de oliva extra virgem Arbosana, de preferência em saladas do tipo Caprese e Caesar — assim como outras opções que contém queijo de cabra.

Azeite de oliva extra virgem e cerveja amarga

Para obter uma outra deliciosa degustação por contraste, é interessante combinar sabores que se “chocam” — ainda que essa tarefa não seja fácil.

A nossa sugestão da vez é experimentar azeites de oliva extra virgem, naturalmente picantes, com cervejas mais amargas — ou seja, aquelas que possuem um alto teor de lúpulo em sua composição. Nossa sugestão é harmonizar a cerveja Invicta 1000 IBU com frituras que tenham azeite Koroneiki.

Azeite de oliva extra virgem e cerveja escura

As cervejas escuras — em especial as de origem inglesa, como as Porter e Stout — são as mais indicadas para harmonizar com azeite de oliva extra virgem, sendo responsáveis por proporcionar experiências surpreendentes ao nosso paladar.

A nossa dica é combinar o azeite Blend com presunto cru ou com queijos azuis, como o gorgonzola, e em saladas frias de preferência.

Como lhe mostramos, existem várias possibilidades para harmonizar azeites e cervejas, basta escolher qual é a sua preferida e deliciar-se com uma experiência gastronômica única.

Gostou de ler as nossas dicas para harmonizar azeites e cervejas? Conhece outra combinação interessante e gostaria de compartilhar com a gente? Deixe o seu comentário no post e contribua com a gente!

Fonte: Blog Verde Louro Azeites – 06/09/2017

Erdinger Hütt’n abre as portas no feriado de 7 de setembro e aposta no cardápio tradicional da casa

As opções variam desde petiscos à sobremesas bávaras

erdinger001

Para proporcionar aos visitantes um momento de conexão com a cultura alemã, o Erdinger Hütt’n traz em seu cardápio pratos especiais que remetem uma experiência única. Para o feriado de 7 de Setembro a casa aposta em pratos que variam desde seus famosos petiscos à sobremesas bávaras.  

Para entrada, os petiscos bávaros como a Tábua de Frios Weissbräu ou o Mix de Salsichas são os preferidos. Já para o prato principal, o Eisbein, um suculento joelho de porco cozido e pururucado, com chucrute, batata sauté com bacon e molho de porco à parte, que harmoniza perfeitamente com os chopes da Erdinger. Para fechar com chave de ouro, uma sobremesa leve como a Apfelstrudel,  umatorta de massa folhada, recheada com maçã e canela, acompanha chantilly e sorvete de baunilha.

erdinger002 erdinger003

Além da rica gastronomia, o espaço é uma excelente opção para encontros no final do dia para um Happy Hour com as cervejas e chopes Erdinger que harmonizam com todos os pratos da casa.

 

Serviço ERDINGER HÜTT'N
Endereço: Rod. dos Imigrantes, 11 – Vila Água Funda – São Paulo (dentro do São Paulo Expo)

Horários: Quarta a sábado, 12h às 22h / Domingo, 12h às 20h

Telefone:  (11) 5067 – 1616 / (11) 5031 – 2017 / (11) 5067 – 1717

Estacionamento: R$ 20 / R$ 45 – com evento no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center

Possui: Acesso a deficientes

Capacidade total: 200 pessoas

 

SOBRE A BIER & WEIN

Fundada em 1986 e especializada em cervejas especiais desde 1993, a Bier & Wein foi a pioneira em cervejas especiais no Brasil e participa ativamente da formação do mercado nacional, sempre trazendo as melhores e mais qualificadas marcas de cervejas do mundo. A Bier & Wein possui ainda uma rede de franquias que traz o nome de sua cerveja: a Confraria Paulistânia – modelo de franchising de micro distribuições regional (para atendimento de bares, restaurantes e empórios da região), trabalhando com exclusividade o portfólio de cervejas da importadora. O trabalho da empresa também é o de distribuir e realizar a gestão de marcas/marketing de cervejas especiais, focando sempre na educação e disseminação da cultura cervejeira de qualidade.

Fonte: Notícia Expressa - 05/09/2017

Cerveja e pão: 5 dicas para uma harmonização infalível

Ao longo dos séculos, cerveja e pão foram dois dos alimentos mais apreciados pelo homem, de forma que sua história se confunde com a história da própria humanidade. Não à toa, a cerveja é muitas vezes chamada de "pão líquido", por apresentar diversas semelhanças com o nosso pãozinho de cada dia, tanto no que tange à matéria-prima quanto aos métodos e procedimentos de preparo.

Sendo dois alimentos absolutamente deliciosos e de uma versatilidade incrível, resolvemos preparar um guia para você destrinchando os princípios e as linhas gerais da harmonização gastronômica, aplicando-os a essa dupla sensacional.

Vem com a gente e vamos expandir nosso universo de sabores.

1. Entenda o conceito de cerveja

Antes de nos aprofundarmos na relação histórica entre cerveja e pão, é interessante que tenhamos em mente uma definição muito clara do que é cerveja.

Considera-se cerveja a bebida alcoólica carbonatada produzida a partir da fermentação de cereais maltados, tais como a cevada e o trigo. Seu preparo inclui um alto percentual de água e pode levar lúpulo e fermentos isolados, além de especiarias, frutas, ervas e outros vegetais.

Nesse sentido, podemos fazer um contraste em relação ao vinho, por exemplo: embora seja também uma bebida fermentada, o vinho é feito a partir da uva, sem a participação de cereais maltados.

Já o whisky, apesar de ser produzido a partir da fermentação de cereais com malte, é uma bebida destilada, diferenciando-se da cerveja pela ausência de carbonatação.

A partir dessa base, mestres cervejeiros de todo o mundo usam sua criatividade para dar vida a centenas de estilos diferentes de cerveja, cada um com características próprias que tornam cada cerveja única.

2. Conheça a história da cerveja e do pão

Não é uma tarefa fácil determinar a origem desses dois alimentos ancestrais, mas sabe-se que o surgimento da cerveja e do pão se confunde com o da própria agricultura, por volta de 10 mil anos antes de Cristo, fruto da fermentação acidental de cereais expostos à chuva. Há, inclusive, antropólogos que acreditam que a invenção da agricultura se deu devido ao desejo de produzir pão e cerveja com frequência.

Já na antiga Mesopotâmia, bem como no Egito, havia registros de processos de fabricação de cerveja e pão por padeiras mulheres. Então, a produção da cerveja consistia em assar parcialmente uma massa de cereais previamente germinados, que seria então adicionada a um jarro com água e uma sobra da massa anterior — como os povos antigos não conheciam a microbiologia, essa massa incorporava o fermento desenvolvido na produção anterior. Ou seja: a diferença entre cerveja e pão era mínima, tanto que ambos eram produzidos pela mesma pessoa.

3. Siga os princípios da harmonização

Agora que você já conhece um pouco da história que une cerveja e pão, vamos conhecer os fundamentos da harmonização entre bebidas e pratos.

  • Quando falamos em harmonização gastronômica, devemos ter em mente que os diferentes elementos da harmonização — no nosso caso, cerveja e pão — devem convergir para gerar o melhor sabor possível. Dessa forma, temos os três tipos principais de harmonização:
  • por semelhança — nesse tipo de harmonização, prato e bebida partilham de uma mesma base de sabor. Essa base em comum dará uma sensação de continuidade no paladar, realçando os traços de sabor um do outro. Um exemplo de harmonização por semelhança ocorre quando combinamos um pão tipo ciabatta com uma cerveja de trigo do estilo Weiss: os aromas de trigo e fermento da cerveja darão continuidade ao sabor do pão;
  • por contraste — na harmonização por contraste, por outro lado, buscamos bebidas e pratos cujos traços mais marcantes se equilibrem mutuamente. Aqui, é importante ter em mente as características mais marcantes do prato a ser servido e buscar equilibrá-las com uma cerveja cujo aroma aponte em outra direção. Podemos citar como exemplo a harmonização entre uma focaccia com molho pesto e uma witbier de elevada acidez: a acidez e a secura da cerveja irão contrapor a untuosidade do molho pesto, limpando o paladar e preparando-o para a próxima fatia;
  • por corte — por fim, sua harmonização pode também se dar por corte. Esse tipo é recomendado quando temos pratos e bebidas de sabor intenso, muito marcante. Nesses casos, procura-se justamente cortar algum traço de sabor muito forte e persistente. Podemos citar como exemplo a harmonização entre uma cerveja do estilo Indian Pale Ale, bastante seca devido ao excesso de lúpulo, e pratos gordurosos, como um sanduíche de costelinha ao molho barbecue.

4. Dê atenção aos seus sentidos

Como você deve ter percebido pelas três grandes diretrizes que listamos acima, para harmonizar pão e cerveja é preciso, antes de mais nada, estar atento àquilo que seus sentidos dizem, pois no fim eles é que dirão se uma harmonização foi bem ou malsucedida.

É normal que, a princípio, não nos achemos qualificados para preparar uma harmonização de sucesso. Não se preocupe. Procure começar a se aventurar por cervejas e pães de sabor mais marcante, como uma Stout, com notas fortes de chocolate, caramelo e café, e um pão escuro de centeio ou um pão de cacau e cramberry e suas deliciosas notas de chocolate. Trabalhar com sabores e aromas fortes ajudará você a treinar seus sentidos para identificar com maior facilidade os sabores básicos de preparações mais complexas.

5. Teste algumas harmonizações

Assim como acontece com os vinhos, não é raro que cervejas e pães oriundos de uma mesma região formem harmonizações esplêndidas. Dessa forma, um sanduíche de pão italiano com presunto de parma e rúcula fará uma excelente harmonização por semelhança com uma autêntica birra italiana do estilo lager, seca e refrescante. Da mesma forma, uma clássica baguete francesa fará um excelente par com uma bière blanche do norte da França.

Cervejas leves combinam com comidas leves e refrescantes, como um pão aromatizado com alecrim. Cervejas escuras e intensas pedem alimentos mais fortes, como pães recheados ou de chocolate.

Procure sempre organizar sua degustação de modo que comece pelos pães e cervejas mais leves e caminhe gradualmente rumo aos mais fortes. Dessa forma você evita que o paladar fique saturado e os sabores mais delicados não sejam percebidos.

Agora que você já sabe como harmonizar da melhor maneira cerveja e pão, é hora de por a mão na massa e experimentar quais combinações mais lhe agradam. E se você gostou do nosso guia e quer dividir o que aprendeu com mais pessoas, compartilhe esse material nas suas redes sociais!

Fonte: Massa Madre  Blog – 07/08/2017

Cerveja com queijo no inverno: saiba fazer combinações

Veja os principais exemplos de harmonização, recomendados por mestre-cervejeiro e um expert em queijos

naom 595f9683837bd

© Reprodução

Graças à sua diversidade de tipos, sabores, aromas e texturas, as cervejas são a melhor pedida para acompanhar os diferentes tipos de queijo, dos mais suaves aos mais gordurosos - os preferidos no inverno. Confira os principais exemplos de harmonização, recomendados por mestre-cervejeiro e um expert em queijos

A oferta cada vez maior de rótulos e estilos de cerveja – das mais leves e refrescantes às mais amargas e alcoólicas – permite que os cervejeiros apreciem a bebida na companhia de uma das iguarias mais consumidas no inverno: os queijos. Mas antes de abrir as garrafas e preparar uma bela tábua recheada de pedaços de brie, parmesão e roquefort, por exemplo, é preciso estar atento a algumas regras que levam em conta, justamente, a textura, a complexidade aromática e de sabores dos queijos, assim como sua maturação. O mesmo vale para as cervejas e seus diferentes perfis de corpo, sabor, amargor e diversidade de ingredientes e estilos.

Como ponto de partida, vale a regrinha básica – queijos leves pedem cervejas leves e refrescantes; queijos fortes se dão bem com cervejas mais amargas – mas outros critérios são importantes. A seguir, listamos as melhores sugestões de harmonização gastronômica entre queijos e cervejas:

Queijos frescos (minas frescal, ricota, mussarela de búfala): a leveza, a umidade e a sutileza dos sabores desses queijos pedem cervejas leves, dos tipos Pilsen e Lager.

Sugestões: Original, Serramalte, Bohemia, Bohemia Aura, Brahma, Brahma Extra Lager, Stella Artois, Antarctica, Beck´s, Budweiser, Corona, Norteña, Quilmes, Skol e X Wäls.

 Queijos leves ácidos (cream cheese, de cabra e mascarpone): a acidez e o sal harmonizam com cervejas também ácidas e levemente adocicadas, de estilos como Weissbier, Witbier e Saison.

Sugestões: Hoegaarden e Patagônia Weisse, Franziskaner, Colorado Appia, (Weissbier), Wäls Witte (Witbier)

 Queijos com mofo branco (brie e camembert): em geral consumidos com geleia de frutas, vão bem com cervejas de boa acidez e até mesmo com as que levam frutas na receita – as Fruit Beer. Além delas, Weissbier, Witbier e Saison.

Sugestões: Hoegaarden e Patagônia Weisse, Colorado Appia, (Weissbier), Bohemia Bela Rosa, Wäls Witte (Witbier), Leffe Ruby (Fruit Beer), Wäls Session

Queijos com mofo azul (gorgonzola, roquefort e stilton): a gordura, o excesso de sal, a ardência e a intensidade do sabor desses queijos exigem cervejas com boa estrutura e amargor, para que as papilas gustativas sejam limpas. São exemplos os tipos Belgian Strong Ale, Porter, Stout, Tripel e Barley wine.

Sugestões: Caracu, Colorado Íthaca (Stout), Colorado Demoiselle (Porter)Leffe Radieuse, Hertog Jan Grand Prestige (Belgian Strong Ale), Wäls Trippel, Wäls Alambique County, Hertog Jan Trippel (Tripel), Wäls EAP Barley Wine (Barley Wine)

Queijos meia-cura ou semimaturados (cheddar, coalho, colonial, emmental, gouda, gruyère, minas meia-cura): devido ao pouco tempo de maturação, a casca e o miolo desses queijos são levemente elásticas ao toque. Têm sabor mais pronunciado, alguma doçura e maior teor de gordura. Por isso, requerem cervejas mais maltadas, alcoólicas e um pouco adocicadas, como as dos tipos Bock, Pale Ale, Blond Ale, Brown Ale e Dunkel.

Sugestões: Bohemia 838 (Pale Ale), Goose Island Sofie, Bohemia Caá-Yari, Leffe Blonde (Blond Ale), Colorado Berthô (Brown Ale), Franziskaner Dunkel (Dunkel)

Queijos maturados ou duros (parmesão, pecorino, grana padano): por serem secos e até mesmo picantes, devido à longa maturação, além de gordurosos e salgados, exigem cervejas com alto teor alcoólico e encorpadas. As IPAS, lupuladas e amargas, podem oferecer boa harmonização por terem a capacidade de limpar a gordura do queijo. Cervejas adocicadas, como Belgian Strong Ale e Tripel, propiciam uma combinação por contraste (dulçor X sal). As Stout e Porter combinam o tostado com o sal dos queijos.

Sugestões: Bohemia Jabutipa, Colorado Indica, Colorado Vixnu, Goose IPA, Wäls Hopcorn IPA (India Pale Ale), (Belgian Strong Ale), Wäls Trippel, Wäls Alambique County, Hertog Jan Trippel (Tripel), Caracu, Colorado Íthaca (Stout), Colorado Demoiselle (Porter), Leffe Rituel 9º

Queijos defumados (provolone): a defumação, predominante nos aromas e paladar do queijo, determina uma cerveja também com toque defumado, como as dos tipos Rauchbier, Porter e Stout.

Sugestões: Caracu, Colorado Íthaca (Stout), Colorado Demoiselle (Porter), Wäls Cuvée Carneiro, Wäls Petroleum Barrel Aged, Wäls Quadruppel

Fonte: Notícias ao Minuto – 07/07/2017

Aprenda com especialistas a harmonizar bebidas alcoólicas com pratos para o inverno

Cervejas, cachaças e saquês fazem parte da lista

Neste inverno, é comum o aumento do consumo de calorias, ou simplesmente a época perfeita para aproveitar as receitas deliciosas. E os pratos mais encorpados ficam ainda mais saborosos se harmonizados com a bebida correta.

Confira abaixo algumas harmonizações com bebidas para todos os gostos:

Cervejas:

image011

As cervejas especiais comprovam que não são consumidas somente no verão. Durante o inverno, a procura por rótulos aumenta, pois geralmente são bebidas mais encorpadas. Os aromas marcantes e o certo amargor presente na composição são ideais para o tempo mais frio, em geral, os estilos Bock, Stout, APA ou IPA, da Berggren Bier, combinam perfeitamente com pratos mais pesados, como a feijoada. Outra opção é a harmonização do churrasco com a cerveja clara.

Cachaças:

image012

A cachaça pode ser harmonizada no início ou no fim de uma refeição, apreciando a bebida com tira-gostos. Para as entradas, como canapés ou saladas, o ideal é uma cachaça com graduação entre 38% a 42% armazenada em madeira de amendoim do campo, jequitibá ou freijó. Já para os pratos principais, como carnes assadas ou feijoada, a caipirinha feita com cachaça branca ou uma dose de cachaça premium envelhecida em carvalho.  E para finalizar, uma cachaça armazenada em amburana harmoniza perfeitamente com uma sobremesa como o chocolate ou café expresso, explica Leandro Dias, sommerlier de cachaça, CEO da Middas Cachaça, e co-fundador da Escola da Cachaça.

Saquês:

image013

No inverno é comum o aumento no consumo de pratos mais temperados e oleosos, que podem ser harmonizados com o saquê junmai. Entretanto, o corpo leve do saquê honjozo pode “quebrar” a oleosidade do prato. Já os pratos mais encorpados caem bem com o saquê de forte presença. Exemplos: carne de panela mineira e feijoada podem ser acompanhados do saquê nigori, que é mais encorpado e realça o sabor acentuado destes pratos, explica Celso Ishiy, um dos maiores especialistas de saquês e diretor da TRADBRAS.

Fonte: Notícia Expressa - 08/06/2017

9 dicas de harmonização com cerveja para deixar suas refeições mais saborosas

cover facebook 640x334 1

Comer é uma necessidade. Comer bem é um hábito e a harmonização com cerveja pode transformar sua refeição em um momento extraordinário.

Para quem está ingressando no mundo da harmonização com cerveja, algumas informações podem ser muito úteis para conseguir alcançar, de fato, uma boa experiência. Por isso, organizamos algumas dicas e sugestões para facilitar as suas combinações. Vamos a elas!

  1. Tenha a mente aberta e esteja preparado para uma experiência de sabores. O sabor é a combinação entre aroma, gostos básicos e a sensação na boca é o resultado das complexas interações entre a comida e a cerveja. A língua detecta apenas quatro sensações: doce, amargo, salgado e azedo, enquanto o olfato percebe cerca de 80% do que sentimos no sabor. Por isso, a combinação de aromas da cerveja e da comida é um dos princípios básicos da harmonização.
  2. Para conseguir encontrar o equilíbrio da harmonização de cerveja e comida é preciso conhecer os elementos de cada estilo de cerveja. O rótulo traz informações muito úteis na hora de combinar as coisas, como sabores, aromas e teor alcoólico.
  3. Equilíbrio: é fundamental pensarmos no impacto sensorial tanto da cerveja quanto da comida. Pratos suaves tendem a combinar bem com cervejas com corpo e amargor leves. Conforme aumentam os sabores da comida, aumentam as intensidades das cervejas.
  4. Considere a carbonatação da cerveja, ela é muito importante pois limpa o palato de sabores fortes e permite que cada garfada seja apreciada.
  5. Na construção da harmonização, você sempre deve começar pelas combinações leves antes das fortes, e cervejas secas antes das doces. Isso porque tudo o que for servido depois do forte, será considerado leve.
  6. Amargor é fundamental! Não, isso não significa que somente cervejas amargas que podem ser harmonizadas, o amargor excessivo pode subjugar pratos leves. Mas é o amargor que confere à cerveja caráter saboroso e refrescante e permite a adaptação da bebida a diferentes pratos.
  7. Cervejas adocicadas têm seu lugar ao sol. Muitas cervejas doces podem ser combinadas com pratos que tem seus próprios elementos de doçura. Cerveja doces podem ser enjoativas e cansar o paladar, mas com sobremesas e queijos podem alcançar sabores incríveis.
  8. A temperatura da cerveja influencia diretamente a percepção de sabor. Quanto mais fria a cerveja mais seco será o sabor.
  9. Conheça bem os temperos dos pratos antes de escolher a cerveja. Sabores cítricos vão muito bem com temperos picantes e, por outro lado, sabores herbáceos e terrosos vão bem com temperos suaves e de ervas, por exemplo. Conhecer o prato evita que a harmonização não funcione como o esperado.

Coloque essas dicas em prática e comece a experimentar. Harmonização é um trabalho que precisa de testes e dedicação. Quer saber mais sobre Harmonização com Cervejas? Conheça o curso da Escola Superior de Cerveja e Malte.

harmonizacao blog cta

Fonte: Cerveja e Malte – 12/05/2017