Curiosidades

Informação nunca é demais! Ainda mais quando se trata de cerveja!

Aqui abrangemos Novidades, Dicas e conhecimentos diversos do mundo cervejeiro.

 

*O conteúdo é de responsabilidade exclusiva das fontes citadas.

**Caso haja necessidade podem haver adaptações no texto.

***Se você deseja compartilhar alguma matéria nas redes sociais

e os ícones não apareceram, clique no ícone da impressora.

Conheça os principais tipos de cervejas artesanais

67350 conheca os principais tipos de cervejas artesanais

Com o calor que tem feito Brasil afora durante o ano todo, fica difícil resistir a uma “loura” gelada. Mas, para quem é fã mesmo da bebida, não importa o clima. Os amantes da bebida viram as fábricas de cervejas artesanais se multiplicarem por aqui nos últimos anos.

Minas Gerais já é considerada a Bélgica brasileira. Sabia disso? O estado ganhou essa fama por conta das novidades que tem trazido ao mercado e da quantidade de fábricas que abriga — em torno de 30.

O Circuito do Ouro, com seus roteiros próximos a Belo Horizonte, destaca a premiada cerveja Peripécia, que pode ser encontrada no Roteiro Entre Serras: da Piedade ao Caraça. E dá para ser visitado tranquilamente em um final de semana sem gastar muito. E essa não é a única oportunidade na região!

Mesmo o Brasil não ocupando lugar no topo do ranking dos consumidores, a média de consumo de cerveja é de 82 litros por pessoa ao ano. Um número significativo!

Do que uma cerveja precisa para ser considerada artesanal?

As cervejas artesanais são aquelas em que o processo todo de produção é natural, desde os ingredientes básicos até os conservantes não químicos. As cervejarias artesanais não precisam ser, obrigatoriamente, pequenas, o que importa realmente é o preparo em si, que requer cuidados exclusivos e acontece de forma praticamente caseira.

Antes de tudo, as cervejas artesanais são divididas em dois grandes grupos: Lagers e Ales. Elas se diferenciam pela temperatura em que iniciam a fermentação, ou seja, utilizam fermentos diferentes. Dentro de cada grande grupo existem os subgrupos que se diferenciam por sabor, cor, origem, textura etc. Já fica avisado que todas elas combinam com um bom papo e alguns quitutes.

Quais são os principais tipos de cervejas artesanais?

1. Lagers

O processo de fermentação das cervejas artesanais Lagers se inicia a temperaturas por volta de 7 a 12ºC. Portanto, são temperaturas mais baixas e fazem com que o fermento se acumule no fundo do tanque. É por isso que as Lagers são também conhecidas como cervejas de baixa fermentação.

São muitos subtipos, portanto apresentamos os principais.

Pale Lagers: são de coloração clara e fáceis de serem encontradas: entre elas Pilsen, American Lager e Premium.

Dark Lagers: podem ser encontradas facilmente e, como o próprio nome diz, são escuras. Entre elas a Malzbier; a Schwarzbier, tradicional cerveja preta, e a Munchner Dunkel, alemã, mais maltada.

2. Ales

São cervejas artesanais feitas da cevada maltada. Suas leveduras começam a fermentar a temperaturas mais altas, entre 15 e 24ºC. Isso a caracteriza como de alta fermentação e, além de seu fermento se acumular no topo do tanque, o processo, por ser rápido, produz um aroma e sabor frutados.

Tem mais subtipos que as Lagers. Entre eles a Pale Ales, clara, suave com teor alcoólico de no máximo 6%. A Strong Ales, com álcool bem mais acentuado. A Belgian Strong Ales produzida, claro, na Bélgica. E a Weissbier tradicional alemã, famosa por não ser filtrada e feita do trigo.

Você deve ter reparado que são muitas as opções, não é mesmo? Agora já tem uma boa noção de como estão divididas e pode começar a experimentar cada uma delas.

Inclusive, faz parte da tendência de consumo que se beba menos, mas com mais qualidade. Fica ainda mais gostoso provar pessoalmente na fábrica, conhecer a história e identificar as características de cada estilo de cerveja artesanal.

Em Minas existe até a Festa da Cerveja, que traz ainda as tradições gastronômicas, o bom e velho rock como música e ambiente que agrada a todas as idades. As crianças vão adorar a programação de atividades infantis. Parece mesmo uma boa pedida, não é mesmo? Saúde!

Fonte: Circuito do Ouro – 29/03/2017

Cerveja e chocolate são irmãos unidos pela fermentação

Labecca Cerveja e chocolate 2 840x577

A Idade Média nos ensinou que os dogmas são capazes de transformar a existência numa trajetória reacionária e retilínea. Curve-se a eles e belas paisagens periféricas serão dolorosamente ignoradas, amigos. Nesse contexto e, por muitos anos, cervejas e chocolates tornaram-se adversários gastronômicos. Quem nunca ouviu e repetiu o bordão “cerveja e doce não combinam!”?

A história, porém, revela mais semelhanças e menos contrastes entre a cor dourada de uma cerveja Pilsen e o marrom do chocolate amargo. Para começar, chocolate e cerveja são dois produtos fermentados que surgiram, provavelmente, de acidentes mais do que felizes.

Enquanto a cerveja deve ter sido criada a partir de uma cesta de cereais expostos à chuva; o chocolate, de acordo com pesquisas arqueológicas realizadas em Honduras, pode ter surgido de um subproduto acidental da… cerveja!

Balanço entre sabores doces e amargos
A arqueologia supõe que cervejeiros hondurenhos de centenas de anos atrás usaram vagens de cacau como cestos de cerveja e, em algum momento, uma alma abençoada resolveu utilizar o resíduo viscoso que cobria o recipiente para preparar uma bebida – talvez o primeiro chocolate quente do mundo!

Fato é que cerveja e chocolate são exemplos do balanço entre sabores doces e amargos. Se a cerveja combina o adocicado dos maltes com o amargor do lúpulo, o chocolate equilibra o amargor do cacau com o dulçor da lactose. Quando os tipos certos de cervejas e chocolates interagem, você pode esperar a comunhão de dois mundos mágicos – e aí, caro leitor, o futuro sorri para você.

Para provar nosso ponto, resolvemos fazer um teste de harmonização entre três estilos diferentes de cervejas e vários doces de chocolate do Labecca Café, o lugar que elegemos como o mais saboroso de Brasília. Sim, é uma questão de gosto, de gostar do que é bom nessa vida.

Entre os tipos de cerveja, procuramos rótulos com diferentes concentrações de álcool, com notas carameladas tostadas, com dulçor e também sabores ácidos. Essas são as características que mais harmonizam com chocolate e doces em geral.

Sempre que imaginamos harmonização de cerveja e comida, pensamos em semelhança e contraste, isto é, ou escolhemos cervejas que vão contrastar com o sabor de algum alimento, ou que vão se assemelhar. A brincadeira é infinita e, por isso, fizemos vários pequenos vídeos.

O que descobrimos, de fato, é que quanto mais doce e gorduroso for o chocolate, mais doce ou mais alcoólica deve ser a cerveja. Outra certeza é que cervejas ácidas combinam muito bem com chocolates brancos, marshmallow e com doces de champanhe.

Notas torradas de cervejas escuras brilham quando encontram chocolates muito doces (por contraste) e também muito amargos (por semelhança), além das versões crocantes e com nozes.

Veja abaixo os destaques de cada degustação e peça para o coelhinho da Páscoa preparar uma cerveja bem gostosa para acompanhar o seu ovo de chocolate favorito!

Tupiniquim Chocolate
Cervejaria: Tupiniquim (Porto Alegre-RS)
Estilo: Sweet Stout
ABV: 4,9%
Melhores combinações: chocolate meio amargo ou barrinha de frutas vermelhas na base de chocolate

Raspy Engine Oil
Cervejaria Harviestoun (Escócia)
Estilo: Porter com Framboesas
ABV: 5,3%
Melhores combinações: bombom de chocolate amargo com crocante e Trufa Pink Champagne (brigadeiro branco, champanhe e morango)

Votus Doppelbock
Cervejaria: Votus (Diadema-SP)
Estilo: Doppelbock
ABV: 8,5%
Melhores combinações: mini wafer de chocolate ao leite com crocante de avelã e cestinha de nozes com laranja cristalizada

Dica Turística: Se você ficou obcecado com este post e deseja mergulhar fundo nessa dobradinha, considere uma viagem para o Beer and Chocolate Festival, que acontece em Richmond, na Califórnia; ou visite o festival anual da Fegley’s Brew Works, cervejaria da Pensilvânia, também nos Estados Unidos.

Feliz Páscoa!

Fonte: Metrópoles – 30/03/2017

Surpresa! 5 cervejas com mensagens escondidas na tampinha!

5 cervejarias que usaram as tampinhas não apenas para fechar a cerveja!

Muitos cervejeiros, como nós, adoram colecionar tampinhas de cerveja. Afinal, existem modelos bem legais e com os mais variados desenhos.
Mas vocês já pararam para ver o que tem por baixo das tampinhas?
Se nunca fizeram isso, dá uma olhada nessas 5 cervejarias que souberam utilizar os espaço morto em baixo da tampinhas de formas divertidas e informativas!

Crown blog header

Crédito: Site Anchor Brewing

Anchor Brewing Company, da Califórnia (EUA), é considerada a primeira cervejaria artesanal americana, e resolveu contar a história da cervejaria em suas tampinhas. São mais de 200 tampinhas com fatos importantes, e o ano em que eles aconteceram, que levaram a cervejaria até os dias atuais.

Nós já conseguimos uma dessas tampinhas:

Anchor 1 edit Essa é uma das tampinhas de 1965, um ano em que a Anchor Brewing Company (na época conhecida como Steam Beer Brewing Company) passou por maus bocados e quase fechou, mas foi salva por Frederick Louis "Fritz" Maytag III. A tampinha fala que em 1965, a Anchor vendeu 882 barris de cerveja. Valeu Fritz!

Vale avisar que nem todas as garrafas da Anchor Brewing que estão disponíveis no Brasil possuem essas tampinhas.

Já a canadense Flying Monkey's Craft Brewery, utiliza a parte de baixo das suas tampinhas de uma forma mais descontraída:

Flying Monkeys edit 2

São várias frases e textos divertidos, como: Don't Drink and Blog (algo como "Não beba e escreva na internet"):

Flying Monkeys edit 3
Ou You can have my beer when you pry it from may cold, dead hands (algo como "Você poderá ter a minha cerveja quando puxá-la de minhas mãos frias e mortas"). Meio macabro, né?

Flying Monkeys edit 4

A cervejaria Ommegang, de Cooperstown, Nova Iorque (EUA), produz desde 2013, cervejas temáticas para a série Game Of Thrones.

São diversos rótulos com referências à momentos de uma das séries mais assistidas da atualidade, e na Valar Morghulis, uma Dubbel com 8% de álcool eles souberam aproveitar muito bem a rolha para fazer uma referência à série. Afinal, se você é fã de Game Of Thrones sabe muito bem que se alguém te fala "Valar Morghulis" a resposta só pode ser uma:

GOT 1

Anderson Valley Brewing Company, é uma cervejaria da Califórnia (EUA) que se importa muito com o meio ambiente. Eles fazem uso de energia solar em sua fábrica e já foram premiados diversas vezes pelos seus esforços na redução de lixo. Eles fizeram uso das tampinhas para divulgar essas ações (tampinha da esquerda, na foto abaixo) e também para mostrar que eles não estão aí pra brincadeira, como você pode ver na tampinha da direita, com a frase We will sell no beer that's weak and pale (Nós não venderemos nenhuma cerveja que seja fraca e pálida):

Anderson Valley Edit

A também californiana Stone Brewing, já foi mais direta e fez uso da parte morta da tampinha para divulgar suas redes sociais:

Stone edit 1
E você conhecem mais alguma cervejaria que usa suas tampinhas com frases engraçadas ou informativas? Então, conta pra gente aqui nos comentários!

Fonte: Maria Cevada - 30/03/2017

Bar feito por 130 toneladas de gelo e temperatura de -15°C chega a Goiânia

Atração fica até o dia 14 de maio, no estacionamento do Bretas Armazém.

Para visitar, clientes do supermercado devem comprar R$ 70 em bebidas.

Bar feito por toneladas de gelo e temperatura de -15°C chega a Goiânia (Foto: Divulgação/Lapa Foto Studio)

Um bar construído com 130 toneladas de gelo, que chega a uma temperatura de até -15°C, foi inaugurado na última sexta-feira (17), no Setor Bueno, em Goiânia. O Gyn Ice Bar passa uma temporada de dois meses na capital. Para conhecer o local, o cliente deve comprar R$ 70 em bebidas especiais em qualquer unidade do supermercado Bretas. Visitantes recebem uma roupa especial para conhecer o ambiente e suportar as baixas temperaturas.

A atração ficará disponível para visitação até o dia 14 de maio e funciona de quinta a domingo, das 16h às 22h. O bar está localizado no estacionamento do Bretas Armazém, no Setor Bueno.

Para participar da experiência, os clientes do supermercado devem adquirir R$ 70 em bebidas das marcas Wäls, Colorado, Franziskaner, Goose, Hoegaarden, Patagonia e Leffe. A partir da aquisição, o cliente ganha um ingresso, que dá direito a consumação de bebidas alcoólicas e não alcoólicas no bar, além da degustação de frios. Os ingressos devem ser trocados no Bretas Armazém.

Clientes têm direito a degustação de bebidas dentro do bar (Foto: Divulgação/Lapa Foto Studio)

A atração dura 20 minutos. Primeiro, o visitante fica cinco minutos em uma antecâmara de 17ºC, para se ambientar e vestir as roupas térmicas disponibilizadas no local. Depois, o participante fica por mais 15 minutos no bar gelado, que fica no interior de uma câmara fria e tem uma temperatura que chega a -15°C. Durante todas as etapas são servidas bebidas especiais e petiscos.

Segundo a gerente de marketing do Bretas, Maria Emília Fernandes, dentro do bar, 130 toneladas de gelo foram esculpidas em monumentos e esculturas que remetem à regionalidade goiana. No local, onde paredes, mesas e cadeiras são feitas de gelo, é possível tomar até drinks em copos de gelo.

De acordo com a gerente, a proposta de trazer a estrutura de gelo para Goiânia partiu de uma ideia vista no Rio de Janeiro, por uma unidade da mesma rede de supermercados.

“No ano passado, a gente brinca que 'congelamos' o verão do Rio de Janeiro. Fizemos isso lá e foi a primeira vez que teve essa atração no Brasil. Desde o ano passado, a gente tenta trazer essa concepção para Goiânia e agora conseguimos”, explica.

Gyn Ice Bar traz bebidas servidas em copos feitos de gelo, em Goiânia (Foto: Danielle Oliveira/G1)

Segundo ela, a montagem do bar, que é todo de gelo, foi feita durante 20 dias. Primeiro, foi montada a estrutura, a recepção, a antecâmara e a câmara fria. Depois, foi feito o trabalho de construção do gelo e das esculturas.

“Lá dentro a gente fez questão de colocar esculturas de Goiânia. Pontos turísticos, como o Serra Dourada, a estação ferroviária, os três marcos, as três raças, coisas típicas da nossa região, para trazer a regionalidade para o evento”, explica Maria Emília.

Serviço: Gyn Ice Bar
Data: de quinta-feira a domingo, até 14 de maio
Hora: das 16h às 22h
Local: estacionamento do Bretas Armazém, em frente ao Goiânia Shopping, na Avenida T-10 com a T-15, no Setor Bueno, em Goiânia
Ingresso: R$ 70 em compras de bebidas especiais em qualquer unidade do Bretas

Além de esculturas e estrutura, mesas e cadeiras também são de gelo esculpido (Foto: Danielle Oliveira/G1)

Fonte: G1 Globo – 19/03/2017

Assinatura de clube de cerveja se torna opção cada vez mais popular para presente

Esse movimento se somou à internet e às redes sociais para a criação desse tipo de fraternidade virtual.

Acorda Cidade

Cerveja sempre foi sinônimo de bebida simples, pelo menos até pouco tempo atrás. Com o passar do tempo, mais e mais pessoas começaram a descobrir cervejas de outros tipos, qualidades e nacionalidades.

Existe um grupo cada vez maior de apreciadores da bebida como iguaria, que compõe o clube da cerveja, formado por aqueles que não se contentam em tomar a mesma marca todos os dias. Eles procuram por rótulos raros, artesanais ou produzidos em condições ou com ingredientes diferentes da tão conhecida trinca: malte, lúpulo e água.

Esse movimento se somou à internet e às redes sociais para a criação desse tipo de fraternidade virtual. Pessoas juntam-se em grupos para compartilhar o que estão tomando, receber recomendações e discutir sobre os rótulos de suas preferências.

Um belo presente

Em um mundo onde já temos de tudo, comidas e bebidas estão se popularizando como opções para presentear um ente querido. E se essa pessoa estimada for um apreciador de cervejas, um presente bastante original é uma assinatura para integrar um grupo do gênero.

Nestes clubes, o assinante recebe todos os meses uma caixa especial com itens que variam de acordo com o pacote escolhido. E sempre haverá uma cerveja diferente para degustar.

Imagine que prazeroso é chegar em casa e saber que uma nova caixa foi entregue. Nela, uma ou mais cervejas escolhidas de acordo com a opinião de pessoas que realmente entendem do mundo das bebidas.

As embalagens ainda podem conter revistas com informações sobre cervejas e itens colecionáveis, além das próprias garrafas ou latas recebidas. Tudo isso com uma apresentação caprichada e bastante cuidadosa, especialmente na proteção dos invólucros, afinal, ninguém quer receber uma garrafa vazia.

Presenteie-se

Os apreciadores de uma boa cerveja não precisam ficar esperando pela boa vontade dos outros – eles mesmos podem se juntar aos clubes. Basta escolher um grupo bacana e que tenha um plano com o qual se identifica. Uma vez afiliado, o sócio pode entrar em contato com outros membros através das redes sociais e discutir os melhores rótulos, descobrir novas marcas e variedades e ampliar o conhecimento sobre essa bebida tão valorizada.

Outra opção interessante oferecida é a da compra avulsa. Como normalmente não sabe o que vai receber com exatidão, já que a ideia é ser surpreendido, o associado também pode fazer compras a partir dos rótulos de sua preferência no mesmo clube de cerveja que já é participante.

Há várias vantagens nisso; entre elas, a de já ter todo o cadastro e meios de pagamento registrados, e ainda receber descontos no valor pago. Esses descontos variam entre 5 e 20% e compensam, pois o preço das cervejas importadas e artesanais não costuma ser barato.

Fonte: Acorda Cidade – 18/03/2017

Conheça agora as 13 cervejas mais fortes do mundo

Você fica de olho no teor alcoólico das cervejas que você bebe quando vai comprá-las? Quando encontra alguma com um teor de 15% já fica surpreso? Pois estou aqui para te apresentar as 13 cervejas mais fortes do mundo.

Você encararia alguma delas no bar com os amigos ou no churrasco da família? Se seu tio já não gosta das artesanais que você está acostumado a beber, imagina se ele experimentasse uma cerveja de mais de 60% de teor alcoólico?

As cervejas mais fortes do mundo

13ª Utopias, Samuel Adams – 28%

 

Essa é a cerveja mais cara dos Estados Unidos, no valor de $ 200. Ela é fabricada de 2 em 2 anos, em lotes limitados na Cervejaria Samuel Adams, em Boston.

Com notas de frutas vermelhas, baunilha, maltes e lúpulos, a Utopias é envelhecida em barris de conhaques, xerez e whiskys.

12ª Tactical Nuclear Penguin, BrewDog – 32%

 

Uma cerveja produzida a partir de outra cerveja congelada. Isso mesmo. Uma imperial Stout é congelada e depois tem o gelo removido, o que aumenta o teor alcoólico, pois o gelo não congela.

A BrewDog aconselha que a Tactical seja degustada em pequenas doses.

11ª Black Damnation VI Messy, Struise – 39%

 

A Black Damnation é produzida por uma microcervejaria belga e também é produzida a partir de uma Imperial Stout.

Essa cerveja nunca foi vendida, pois foi fabricada apenas para participar de festivais de cervejas.

10ª Esprit de Noel, Baladin – 40%

 

Considerada como um destilado de cerveja, ela é envelhecida em barris de carvalho e possui um sabor amadeirado.

9ª Sink the Bismarck!, Brewdog – 41%

 

40 vezes mais cara do que uma cerveja tradicional, a “Sink the Bismarck!” tem esse nome porque Bismarck é o nome do maior navio de guerra alemão.

Congelada quatro vezes no processo de fabricação, a cerveja é uma IPA com quatro vezes mais lúpulo e mais amarga.

8ª Schorschbock, Schorschbräu – 43%

 

Essa cerveja foi criada para brigar com a anterior da BrewDog. É uma cerveja do estilo Eisbock com notas de frutas.

7ª Obilix, Koelschip – 45%

 

Outra do estilo Eisbock que também foi criada para batalhar com a Sink the Bismarck da BrewDog.

6ª The End Of History, BrewDog – 55%

 

Já falamos dessa cerveja no post de cervejas mais bizarras do mundo. Quando a fabricante criou a bebida era para ela se tornar a cerveja mais forte do mundo.

Porém, ela ficou famosa mesmo pela polêmica da garrafa que ficava dentro de animais empalhados e é claro que saiu de circulação logo.

5ª Schorschbock 57, Schorschbräu – 57%

 

Sim, pode parecer que estamos repetindo um rótulo, mas não é bem isso. A Shorschbräu lançou a mesma cerveja, mas com graduação alcoólica diferente, a Schorschbock 57. Ela aumentou o teor alcoólico de 43% para 57%.

Mas outra polêmica foi criada, por causa da Lei da Pureza da cerveja alemã que diz que não é possível aumentar o teor alcoólico de uma cerveja.

4ª Start the Future, Koelschip – 60%

 

Lançada um mês após a polêmica The End Of History, essa cerveja teve produção limitada com um preço bem inferior da concorrente.

3ª Armageddon, Brewmeister – 65%

 

Lançada em 2012 para ocupar o espaço da cerveja mais alcoólica do mundo, a Armageddon é da cervejaria escocesa Brewmeister.

Com sabor levemente adocicado, a cerveja não é mais produzida depois de uma polêmica de testes de laboratório que confirmavam a adição de álcool na bebida.

2ª Snake Venom, Brewmeister – 67%

 

Outra bebida polêmica que acabou não sendo classificada como cerveja, depois de testes que confirmaram a adição de álcool no processo de fabricação.

A bebida conta com ingredientes como turfa de malte defumada, levedura de cerveja e levedura de champagne.

1ª Mystery of Beer, Koelschip – 70%

 

Sim, meu caro. Chegamos onde você queria. A cerveja mais forte do mundo!

São 70% de álcool que só de sentir o aroma você já deve ficar bêbado. A fabricante da bebida explica que o máximo de teor alcoólico que uma cerveja consegue ter é de 80%. Porém, o processo é muito difícil e acreditam que levará algum tempo para ultrapassar os 70%.

A Mystery of Beer está disponível em porções de 40 ml ou na garrafa de 330 ml. Mas beba com muita moderação.

 

Fonte: Um Gole ou Mais – 15/03/2017