Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

supermercado celular

Durante o dia, os brasileiros ficaram mais de três horas de olho na tela do smartphone em 2018, segundo a pesquisa Estado de Serviços Móveis feita pela consultoria App Annie. Isso coloca o Brasil na quinta posição do ranking global de tempo despendido com os aparelhos e, para os supermercados, esse é um fator positivo.

Outro estudo, este feito pela consultoria Retail Academics com pesquisadores da Universidade de Bath, no Reino Unido, mostra que quanto mais tempo os consumidores ficam no celular dentro das lojas, mais itens eles colocam no carrinho e levam para casa.

As principais situações que fazem a tela do celular brilhar são, na maioria das vezes, tédio na fila do caixa, busca de receitas para a refeição, além das mensagens de WhatsApp. A pesquisa diz que, em média, cada segundo de distração do consumidor corresponde entre 20 e 40 centavos de libra na conta, algo em torno de R$ 1 a R$ 2.

Os estudos realizados na Suécia mostram ainda que as pessoas colocaram 45% e 58% mais produtos no carrinho e a explicação está na distração causada pelo celular. Além de perder o foco principal das compras, o consumidor distraído com o celular tende a andar sem rumo entre os corredores de produtos que normalmente não compram.

Outro dado constatado nesta pesquisa é que a exposição de vários produtos nas lojas faz com que o consumidor distraído lembre-se de coisas que estão faltando em casa, assim como inspirar compras por impulso. Seja qual for o tamanho do supermercado, o fato é que quanto maior o sortimento de produtos, mais rápido nosso cérebro se fecha para os itens que listamos para comprar.

Porém, ao ser interrompido pelo celular, a concentração se perde e isso modifica completamente nosso comportamento dentro da loja. O trabalho da consultoria Retail Academics foi realizado em 294 sessões de compras e um experimento posterior com 120 consumidores na Universidade de Bath.

Fonte: Blog APAS Show - 01/07/2019

guia fornecedores