Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

carreira improdutivo pixabaY

Reconhecer os traços de improdutividade de um funcionário é o primeiro passo para entender como ele chegou nesse estágio e como resolver a questão. As características costumam se acumular e o “efeito bola de neve” pode se tornar irremediável. Em um artigo para a revista Inc., o empreendedor Adam Heitzman, cofundador da HigherVisibility, destaca seis atitudes recorrentes em pessoas improdutivas.

  1. Reclamar

Reclamar de tudo e o tempo inteiro pode ser um sinal de que o profissional não tem vontade de agir e resolver a situação. É mais fácil reclamar do que ser produtivo.

  1. Dar desculpas

Uma ou outra talvez passe despercebida — o que não significa que seja recomendada. Mas pessoas que dão desculpas constantemente possuem um problema e a situação pode fugir do controle rapidamente, diz Heitzman.

  1. Adiar as obrigações

Aliado às desculpas, o hábito de procrastinar regularmente é extremamente nocivo para a produtividade. Funcionários que adiam demais as obrigações acabam fazendo apenas o mínimo possível.

  1. Passar tudo pelo chefe

Resolução de problemas, criatividade e independência são pontos-chave da rotina de alguém produtivo. A necessidade de passar tudo pelo crivo da chefia pode representar um desinteresse em dominar a tarefa e efetuá-la corretamente.

  1. Se importar apenas em receber os créditos

Funcionários que só são produtivos quando visam algum reconhecimento, na verdade, não mostram um grande interesse no trabalho e apenas fazem o necessário para passarem a impressão de produtividade, segundo Heitzman.

  1. Não evoluem

Ser produtivo envolve aprender novas habilidades, estar motivado e em constante evolução no trabalho. Não adianta fazer o necessário e se acomodar em suas atribuições. Produtividade exige crescimento.

Fonte: Época Negócios - 12/03/2019

guia fornecedores