Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

sonhos carreira 28 01 2019

Nos últimos dois anos, Robert Glazer, CEO da agência de marketing Acceleration Partners, baniu a política de bônus em sua empresa. Em vez disso, ele criou outra política para comemorar o fim do ano entre seus funcionários. Glazer passou a realizar os maiores desejos das pessoas que trabalham na empresa.

Em um caso, ele pagou uma viagem de um funcionário e sua filha para que visitassem sua avó na Grécia. Glazer também já cobrou um favor de um amigo e com isso realizou o sonho de um dos colaboradores de dar uma palestra sobre marketing no MIT. O CEO chegou a contratar um investigador para encontrar o irmão de um de seus funcionários, que havia sido separado da família na infância.

sonhos carreira 28 01 2019
 

Robert Glazer, CEO da Acceleration Partners

Todo ano, os 130 funcionários são convidados a escrever seus objetivos e sonhos no Slack. Glazer e o chefe de cultura da empresa então selecionam dez desejos para realizar a cada ano. O resultado, diz o CEO, não deixa apenas os escolhidos felizes, mas faz com que as pessoas da empresa se aproximem.

A empresa já pagou para que funcionários fizessem paraquedismo ou aprendessem a tocar violão. No ano passado, um grupo disse que queria correr uma maratona ou triatlo, então Glazer contratou um personal trainer para prepará-los. Segundo ele, alguns desejos não custam nada, enquanto outros chegam a custar US$ 2 mil.

“O objetivo era gerar motivação e descobrir o que é mais importante para seus funcionários”, disse Glazer ao Business Insider. “E se nós os ajudarmos com isso, talvez eles se tornem pessoas melhores e funcionários melhores. Eles ficam realmente comovidos em ver que nos importamos, que trabalhamos e pesquisamos para fazer aquilo que é mais importante para eles”.

Apesar de só dez funcionários serem escolhidos, não há competição entre aqueles que não tiveram seus sonhos realizados. “Quando não fui selecionado no ano passado, fiquei tão feliz pelas outras pessoas quanto teria ficado por mim, é consenso que todos ficam felizes”, afirma Kaylee Feldt, um dos funcionários da Acceleration Partners.

Fonte: Época Negócios - 28/01/2019

guia fornecedores