Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

jeff bezos

O fundador da Amazon, Jeff Bezos, está no topo de uma das empresas mais bem-sucedidas do momento e tem uma fortuna pessoal estimada em US$ 150 bilhões, o que faz dele a pessoa mais rica do mundo atualmente. Impossível negar que o empresário é (muito) esperto. E que provavelmente está cercado por colegas bastante inteligentes.

Mas como Bezos encontra essas pessoas? Essa foi uma questão que o executivo abordou quando passou pelos escritórios da Basecamp há alguns anos, de acordo com relato de Jason Fried, fundador da empresa, publicado na Inc. E a resposta de Bezos foi o oposto do que a maioria das pessoas espera.

Pessoas inteligentes erram — e muito

A maioria de nós, quando quer descobrir se alguém é inteligente, pergunta se a pessoa está certa: ele tem conhecimento correto sobre o mundo e sua área de especialização? Ele enxerga as respostas certas quando se depara com problemas difíceis? Suas previsões acabam sendo certas?

Mas a estratégia contra-intuitiva de Bezos não é apenas observar com que frequência as pessoas estão certas — pelo contrário. Ele também busca profissionais que consigam admitir quando estão errados e mudem de opinião com frequência.

Bezos “observou que as pessoas mais inteligentes estão constantemente revisando sua compreensão e reconsiderando um problema que acreditavam já ter resolvido. Elas estão abertas a novos pontos de vista, novas informações, novas ideias, novas contradições e novos desafios”.

E mudam de ideia com frequência

Em outras palavras, o executivo afirma que quem é muito inteligente muda bastante de ideia. Bezos aparentemente acredita que a consistência é superestimada.

“Ele não acredita que consistência de pensamento seja uma característica particularmente positiva”, afirma Fried, em seu blog. “É perfeitamente saudável — encorajado por ele, até — ter uma ideia amanhã que contradiga a sua de hoje.”

Portanto, da próxima vez que você estiver tentando descobrir se alguém é realmente muito inteligente, não pergunte se a pessoa está sempre certa. Questione quando foi a última vez que ela mudou de opinião. Se a resposta não vier, provavelmente ela não é tão esperta quanto aparenta ser.

Fonte: Época Negócios - 03/12/2018

guia fornecedores