Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

 

 Lojas online devem ter mais um ano de grande crescimento a explorar na web

e commerce cervesia

Design, conteúdo e integração devem fazer parte da pauta de qualquer loja online em 2018. 

O comércio online nunca esteve tão em alta. Os e-commerces vêm prosperando cada vez mais, ainda que em tempos de crise econômica, pela grande vantagem que representam: a facilidade em comprar sem sair de casa. E como tudo no meio digital, novas tendências prometem sacudir o segmento em 2018 e quem não se adequar pode ficar atrás da concorrência ao longo do ano.

É o que pensa Roger de Cerqueira Leite, diretor da Cronomídia, agência de comunicação especializada em desenvolvimento web e e-commerces. “Design, conteúdo e integração devem fazer parte da pauta de qualquer loja online para o ano que está começando. Entre outros, esses são os fatores que mais podem influenciar em 2018 e o crescimento do setor vai continuar bem interessante para todos que se adaptarem aos novos tempos”, explica.

Para começar, quem ainda não tem um site responsivo já está ficando defasado. Direcionar tudo para as versões mobile, sejam elas em smartphones ou tablets, é tendência que não pode deixar passar. Hoje, a maioria das pessoas acessa a internet em dispositivos móveis por mais tempo do que em computadores e 39% das compras em lojas online são feitas assim segundo os dados da consultoria Statista.

O design do site também é ponto fundamental. Com tantas opções, é normal que o internauta saia de um e-commerce que não agradou esteticamente e procure outro que passe mais confiança. A tendência é ser minimalista: menos é mais. “O foco deve ser na divulgação dos produtos com fotos claras e nítidas. Todo o resto precisa ser minimalista, sendo que muita informação junta é considerada poluição visual e mais atrapalha as vendas do que ajuda”, aponta o empresário, que complementa “os e-commerces precisam focar no produto e nos botões de CTA”.

O conteúdo também precisa ser bastante direcionado. “O aumento das compras através de e-commerce exige um grande cuidado com os clientes, que não podem tocar, sentir ou experimentar a peça antes de decidir”, explica Thaisy Sluszz, diretora de marketing da Cronomídia. Assim quanto mais detalhes melhor: “é necessário explicar tudo que precisa sobre cada item da maneira mais completa possível. Assim, evitam-se problemas futuros com as vendas e ninguém se sente enganado depois da compra por falta de descrição do produto, incluindo dados técnicos”, aponta.

A plataforma de compra é outro ponto a ser pensado com carinho para 2018. “Integração é a chave aqui. Não basta vender, é sempre bom também integrar com as CRM e outras plataformas de automação de marketing para deixar tudo mais prático no processo inteiro. É interessante também pensar em um funil de conversão com poucas etapas, para que o internauta efetue a compra mais rápido e tenha menos tempo para mudar de ideia. Outra boa opção é aproveitar o próprio site para inserir promoções especiais exclusivas em pop-ups ou barras de chamadas, que também estão na moda”, analisa Roger.

Para aqueles que possuem também loja física, é possível - e muito proveitoso - usar a proximidade dos consumidores para impulsionar compras, tanto presenciais quanto online. Com ativações via mensagem de SMS, notificações push no telefone ou mesmo geolocalização, é possível oferecer promoções e informar os clientes em potencial sobre novidades da marca. 

Para fechar a lista de principais tendências para e-commerces em 2018, a inteligência artificial não pode ficar de fora. Com o uso de um chatboot, a loja pode atender os clientes de maneira rápida e prática. “Chatboots são aqueles softwares que simulam o ser humano na conversação, com o objetivo de responder perguntas sem parecer uma máquina, e sim uma pessoa. Assim, não é mais preciso lidar pessoalmente com cada pessoa para recolher informações, descobrir preferências e oferecer produtos de maneira direcionada para o que aquele visitante quer. É uma ferramenta ótima que não pode ser desperdiçada”, completa o consultor.

Tendências mudam de ano para ano nas mais diversas áreas da tecnologia e não é diferente para quem empreende em um e-commerce. Essencial é estar ligado em tudo que rola no meio e garantir que sua loja esteja por dentro do que os internautas procuram. Só assim é possível se firmar e crescer em meio a tanta concorrência na internet. 

Fonte: DINO - 15/01/2018 

guia fornecedores