Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

Saiba os argumentos mais frequentes entre os funcionários que desistem do emprego

Há dezenas de razões pessoais por que funcionários desistem de seus empregos. Talvez eles tenham se decidido rodar o mundo ou começar um negócio próprio. Podem ter decidido mudar de área, quem sabe? Contudo, há alguns motivos-chave que são mais frequentes que outros, segundo apontou o site Business Insider.

O site aponta as sete motivações mais comuns após checar pesquisas recentes sobre rotatividade de empresas. Veja:

1. Querem mais dinheiro

Pode parecer óbvio, mas dinheiro motiva as pessoas. De acordo com um estudo recente do Consórcio Internacional de Pesquisa de Desenvolvimento de Executivos (ICEDR), o pagamento injusto e compensações estão entre as razões mais usadas por homens e mulheres com média de idade de 30 anos deixam seus empregos. Além disso, apontaram que as mulheres são mais propensas a dizer que estão deixando o trabalho porque encontraram outra oportunidade melhor remunerada: 65% delas contra 56% deles.

2. Falta de oportunidade de aprendizado e crescimento

O mesmo estudo da ICEDR descobriu que a principal motivação para os homens desistirem do seu emprego é a falta de oportunidades de aprender e crescer dentro da empresa. Pelo menos 65% deles citam essa questão na hora de desistir. Outra pesquisa também apontou que 71% dos millennials que pretendem deixar seus empregos nos próximos dois anos estão insatisfeitos com a forma como suas habilidades de liderança estão sendo desenvolvidas.

3. Não há nenhum sentido de “propósito maior”

Termos como “propósito” podem soar bobo, mas é verdade que os empregados valorizam a chance de fazer contribuições positivas ao mundo: estudos mostram que o “gap” entre os funcionários millenials e seus empregadores sobre esses valores pode explicar a falta de conexão entre as oportunidades que o mercado oferece e as oportunidades que os trabalhadores desejam. Para se ter uma ideia, uma pesquisa revelou que, entre os planos dos millennials que planejam permanecer no seu trabalho atual pelos próximos 5 anos, 88% disseram que estavam satisfeitos com o senso de propósito da empresa.

4.  Há “colaboração” em demasia de funcionários

“Colaboração” pode soar como algo grandioso – como quando todo mundo colabora com seu conhecimento e habilidade para ajudar no sucesso da empresa. Porém, pesquisas mostram que o lado negativo da colaboração acaba influenciando empregados a desistirem dos cargos. Qual é ele, afinal? A maior demanda de trabalho para uma mesma pessoa que, por suas habilidades, torna-se “insubstituível” à empresa. O excesso de trabalho é bastante comum no mundo corporativo – muitas vezes, um mesmo funcionário recebe demandas de diversos departamentos. Os líderes seniores ajudam a resolver este problema ao reavaliar reuniões de grupo e decidindo se a entrada de todos é realmente necessária. Também podem orientar os mais sobrecarregados a priorizar pedidos e dizer “não” quando necessário.

5. A empresa não facilita a colaboração entre colegas de trabalho

Nem de mais, nem de menos. A colaboração de cada funcionário deve ter a medida correta para o bom funcionamento da empresa. Em 2015, a EY descobriu que uma das cinco razões para que funcionários desistam do cargo está o ambiente que desencoraja a colaboração entre colegas de trabalho. Em todo o mundo, 71% das pessoas citaram que este problema é um fator relevante na hora de decidir sair da empresa.

6. Chefes que não valorizam o trabalho

Todo mundo gosta de ouvir que está fazendo um bom trabalho. Na verdade, metade dos entrevistados em 2013 da “CareerBuilder” disse que o reconhecimento – seja na forma de prêmios, aumento do salário, viagens etc – é uma das coisas que faz com que permaneça no seu emprego. Uma especialista americana, Cameron Morrisey, já escreveu sobre a importância de gerentes e chefes se questionar se estão dando o valor merecido a sua equipe. Algumas perguntas que podem ser feitas: estou ouvindo o feedback dos meus empregados? Eles estão me dando feedback positivos? Eles tão mostrando interesse e motivação? Eles estão empoderando a empresa, fazendo mais do que o básico?

7. Horas extras intermináveis

A mesma pesquisa EY mencionou que as horas excessivas de trabalho estão entre as razões mais citadas pela desistência. Assim, é sábio da parte dos chefes em manter o controle sobre horas trabalhadas de seus funcionários, ou então correm o risco de perdê-los.

Fonte: Newtrade - 16/05/2016

guia fornecedores