Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

Quando planejamos um novo empreendimento, pensamos no que podemos oferecer ao mercado, imaginamos a estrutura necessária para fornecer estes produtos e/ou serviços e na maioria das vezes não pesquisamos o que é que o consumidor deseja realmente.

Este desconhecimento do mercado, a despreocupação com relação aos canais de venda, a dificuldade em vislumbrar em que faixa devemos posicionar o nosso produto, compromete não somente as margens de lucro, como também a própria sobrevivência da empresa.

Leia o artigo abaixo, escrito por quem entende do assunto, Elson Ravaioli, da empresa IBC – International Business Consultancy.

Pondo os pingos nos ‘is’!

“Existem três tipos de empresas: as que fazem as coisas acontecerem, as que ficam observando o que acontece e as que ficam perguntando o que aconteceu”. Anônimo

É muito comum observar erros sobre o que essencialmente consiste ser o Marketing e o que ele pode fazer para as empresas. Dois desses erros encontram-se resumidos a seguir:

1º erro: Marketing é Vender!

Achar que marketing e vendas são a mesma coisa é o erro mais comum, não apenas do público em geral, mas também de alguns profissionais da administração das empresas.

É obvio que vender faz parte do marketing, porém o marketing é muito mais do que vender. As ações de marketing são efetuadas com antecedência. Elas começam muito antes da venda se realizar. É o marketing que descobre as necessidades ainda não atendidas e disponibiliza as soluções mais adequadas, com base em um planejamento antecipadamente definido.

É o marketing que avalia as necessidades, quantifica o seu tamanho e sua intensidade e verifica se existe possibilidade de obtenção de lucro. A venda por sua vez somente ocorre no final, na ponta desse processo, quando o produto já se encontra pronto, fabricado.

O marketing continua ainda ao longo de toda a vida do produto, garimpando novos consumidores, melhorando o poder de atração do produto e conseqüentemente o seu desempenho mercadológico e financeiro, trabalhando para que o cliente efetue muitas e muitas compras, por muito tempo.

2º erro: Marketing é Propaganda!

Também representa um grave erro quando o marketing é reduzido somente à propaganda.

É muito comum, principalmente em organizações menores, recursos serem empregados em ações isoladas de propaganda, esperando com isso aumentos imediatos de vendas. Na esmagadora maioria das vezes o que se verifica é nenhum resultado real e a percepção por parte dos administradores de terem jogado dinheiro fora.

Claro que é de fundamental importância divulgar um negócio ou produto. A propaganda e as demais ações de divulgação representam um dos componentes do “mix de marketing”. Entretanto elas sozinhas não são suficientes para gerar os resultados esperados. Ações integradas de marketing são muito mais eficazes do que a propaganda e divulgações em geral podem isoladamente oferecer. Ações planejadas de marketing que contemplem a propaganda potencializam o efeito do esforço de divulgação, gerando os melhores resultados.

Marketing – o caminho para alcançar objetivos

Da mesma forma que uma fazenda de laranja para se manter competitiva necessita de análise periódica do solo, adubação para correção de nutrientes, sistemas de irrigação, modernização constante das técnicas de cultivo, assistência técnica competente, utilização de mudas geneticamente desenvolvidas para incrementar a produtividade e longevidade de suas árvores etc; uma empresa também necessita provisionar recursos para desenvolver seu plano de investimento bem como as verbas que serão destinadas à execução do plano de marketing (pesquisa inicial de marketing, pesquisas periódicas para monitoramento de resultados, verbas de divulgação, recursos para as ações promocionais, consultoria especializada, etc..).

Para uma empresa alcançar seus objetivos não basta garantir qualidade do produto, ter um processo de fabricação perfeitamente controlado, pessoal treinado e motivado ou mesmo uma organização administrativa eficiente que garanta custos reduzidos. Todos esses fatores juntos, embora essenciais, não garantem sucesso à empresa, caso esta não execute em cada exercício as ações detalhadas no Planejamento de Marketing – ações estas que têm como origem o plano estratégico mercadológico definido anteriormente.

O mundo de hoje é complexo, altamente competitivo, com níveis crescentes de exigências, com as empresas guerreando pela preferência do consumidor ‘mais e mais’ a cada dia. Um mundo que se comunica rapidamente, repleto de informação e diversidade, oferecendo uma infinidade de opções!!

Neste contexto resta ao dirigente da empresa estabelecer estratégias para fazer do seu empreendimento um negócio lucrativo, sustentável ao longo do tempo e ambientalmente ético.

A utilização de um Marketing que estabeleça ações para manutenção de uma relação duradoura com o cliente é vital em ambientes altamente competitivos no presente e especialmente no futuro. Para qualquer ocasião, seja uma empresa em operação – já estabelecida ou mesmo um projeto para implantação de um novo empreendimento, haverá sempre ações e estudos de marketing adequados ao estágio em que se encontra o empreendimento, capazes de indicar ao empresário o melhor caminho, visando auxiliá-lo na sua tomada de decisão.

Fonte: International Business Consultancy, por Elson Ravaioli

guia fornecedores