Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

A startup Gestão TI4u está participando da Feira do Empreendedor Sebrae, que acontece entre os dias 18 e 21 de fevereiro. a empresa alerta para os pequenos e médios empreendedores terem cuidado e não sair comprando sistemas e tecnologias inadequados para o seu negócio.

Confira algumas dicas básicas que Flávia Fonseca, idealizadora da Gestão TI4u, dá aos empreendedores que pretendem comprar algum sistema ou tecnologia para a sua empresa:

Funcionalidades

É importante frisar que os sistemas possuem um conjunto de funcionalidades diferentes, mesmo quando são direcionados para o mesmo ramo. Isso significa dizer que um sistema que seja específico para food truck, por exemplo, pode não ser ideal para todos os que trabalham nesse segmento. É importante avaliar qual solução realmente cobre todas as suas necessidades.

Faça um teste gratuito antes de comprar

Atualmente, praticamente todas as soluções oferecem testes gratuitos por um período que varia de uma semana a um mês em média; e isso é muito bom! Trata-se de uma oportunidade para sentir na prática se aquela solução tem os recursos que você precisa, se é lenta, se possui erros, se é fácil de usar e até como é o suporte às suas dúvidas. Vale muito a pena!

Sistemas gratuitos

Considerar a utilização de softwares gratuitos é uma quebra de paradigma para quem acha que tecnologia é sempre caro. Muitas vezes, existem sim soluções de CRM (Gestão de clientes), ERP, gestão de projetos, entre outras, que são gratuitas e que podem atender muito bem os empreendedores. É importante apenas avaliar se você consegue aprender “sozinho”, visto que essas soluções gratuitas não costumam oferecer treinamento, por exemplo.

Treinamento

O que mais faz com que as pessoas comprem um sistema e não usem, é a dificuldade de saber como usá-lo. Um bom treinamento é a chave para que seu sistema realmente funcione. É importante também saber qual a recomendação do fornecedor para capacitar os novos funcionários que você venha contratar no futuro.

Preço

Quando o sistema é pago, é preciso analisar o custo total, como por exemplo: utilização de servidor, custos contínuos de mensalidade, investimento na velocidade da internet, etc. Analise o preço como um todo, principalmente o preço mensal. Você pode se surpreender com uma solução aparentemente barata para aquisição e um valor alto a ser pago em cada mês.

Cancelamento

Tudo que começa um dia pode acabar, assim como tudo na vida. Você precisa ser livre para decidir cancelar a prestação de serviço com qualquer fornecedor, por isso tenha muita atenção nas condições de cancelamento. Avalie a existência de multas e motivos que justifiquem o cancelamento sem pagamento de penalidades.

Suporte

Ter a certeza da existência de um suporte que te apoie durante e após a implantação é fundamental. Isso garante segurança e continuidade do seu negócio, além de demonstrar que a empresa se prontifica em te ajudar e solucionar dúvidas.

Ouça a opinião de outros clientes do sistema

Mais do que ouvir o que os vendedores falam, ou o que diz a propaganda na internet, é preciso conversar com pessoas que já trabalham com esse fornecedor e que utilizam o que você está interessado em comprar. Claro que se uma empresa estiver começando ela pode não possuir os clientes para indicar, mas uma empresa já estabelecida no mercado deve disponibilizar essa informação e conforme for, você pode até ir visitar a empresa para conferir o funcionamento na prática.

Reclamações sobre o fornecedor

Mais do que conhecer o que falam de bom do sistema, é preciso investigar um pouco se há queixas sobre ele. Com certeza, se você receber indicações de clientes, será de clientes satisfeitos, porém para avaliar o cenário completo é interessante fazer uma pesquisa breve pela internet sobre a existência de reclamações. O reclameaqui é um bom local de consulta.

 Fonte:  New Trade - 20/02/2017

guia fornecedores